pub

‘Super emissores’: 1% da população causa metade das emissões globais da aviação, diz estudo

Os ‘super emissores’, que representam apenas 1% da população mundial, foram responsáveis por metade das emissões de carbono da aviação em 2018, de acordo com um novo estudo publicado na revista Global Environmental Change.

De acordo com os investigadores, o estudo intitulado “Escala global, distribuição e crescimento da aviação: Implicações para as alterações climáticas” mostrou que uma elite que desfruta frequentemente de voos teve um grande impacto na crise climática que afeta toda a gente.

Apenas 11% da população mundial efetuou um voo em 2018 e 4% voou para o estrangeiro. Os passageiros dos Estados Unidos têm, de longe, a maior pegada de carbono entre os países ricos. As suas emissões de aviação são maiores do que o Reino Unido, Japão, Alemanha e Austrália juntos.

A investigação recolheu uma série de dados e encontrou grandes proporções de pessoas em vários países que não voam todos os anos – 53% nos EUA, 65% na Alemanha e 66% em Taiwan.

As companhias aéreas produziram mil milhões de toneladas de dióxido de carbono (CO2) e beneficiaram de subsídios de aproximadamente 84 mil milhões de euros, no entanto não pagarem pelos danos climáticos que causaram, afirmam os investigadores.

A contribuição da aviação global para a crise climática estava a crescer rapidamente antes da pandemia, com as emissões a saltar 32% entre 2013 e 2018. O número de voos em 2020 diminuiu para metade, mas a indústria espera regressar aos níveis anteriores, isto é pré-covid, até 2024.

A queda de 50% no número de passageiros este ano deveria ser uma oportunidade para tornar a indústria da aviação mais justa e mais sustentável, aponta o relatório.

“Se queremos resolver as alterações climáticas e precisamos de redesenhar a aviação, então devemos começar pelo topo, onde alguns ‘super emissores’ contribuem maciçamente para o aquecimento global”, disse Stefan Gössling na Universidade de Linnaeus, na Suécia, que liderou o estudo, citado pelo The Guardian.

Ler Mais
pub

Comentários
Loading...