«Somos diferentes das outras concorrentes»

A francesa Longchamp tem uma mistura única de qualidade, modernidade e estilo. A marca de luxo é propriedade da família Cassegrain e promete continuar a reinventar a moda

Como é que, ao longo de 70 anos, uma marca se mantém fiel a si mesma? No caso da Longchamp, mantendo-se na família e considerando valores de sempre: elegância no luxo moderno. Isto, desde 1948, ano em que Jean Cassegrain transmitiu a sua visão única de elegância francesa e rescreveu as regras desse mesmo luxo moderno sob a marca Longchamp. Fabricante de bolsas para cachimbos em pele que canalizou a sua arte para acessórios de viagem, malas e moda, incluindo pronto-a-vestir, calçado e óculos, a Longchamp foi conquistando clientes e, hoje, estende-se a todo o globo.

Continua a ser da família Cassegrain, e reúne mais de 300 lojas em 80 países, tendo a mais recente sido aberta na Quinta Avenida, em Nova Iorque.

Na última década, o desenvolvimento da Longchamp acelerou rapidamente – o volume de negócios aumentou três vezes, as vendas internacionais duplicaram, foram abertas 12 subsidiárias em todo o mundo, com mais de 120 lojas adicionais geridas directamente. Mais ainda, a Longchamp recrutou 1600 pessoas para se juntarem à sua rede global e aos seus workshops de produção nos últimos 10 anos.

A marca tem aumentado o seu potencial para atrair talento, de forma a manter as suas competências e alinhar-se com a sua expansão global. Cerca de 100 artesãos trabalharão no novo local, que incluirá um estúdio educacional para formar e orientar colaboradores novos. Actualmente é gerida pela segunda e terceira gerações. O filho do fundador, Philippe Cassegrain, tem o cargo de chairman, o seu filho, Jean Cassegrain, é CEO e a sua filha, Sophie Delafontaine, é directora criativa. O seu irmão, Olivier Cassegrain, vive em Nova Iorque e gere as lojas norte-americanas.

As vendas em França representam 30%, na Europa/Médio Oriente/África 29%, América 13% e na Ásia 28%.

Desde 2007, a Longchamp foi classificada pelo governo francês como Empresa Legado Vivo, uma denominação que honra as empresas francesas com experiência na arte e manufactura industrial. Tem seis fábricas francesas na região do Pays de Loire que continuam a apoiar e a desenvolver 70 anos de técnicas de produção em pele.

A Longchamp está disponível em 80 países através de uma rede de 1500 pontos de venda, lojas da marca e franchises, grandes armazéns, vendedores de bens em pele, lojas de aeroporto e sites de comércio electrónico. O grupo gere directamente 300 pontos de venda através de 24 afiliados de distribuição.

Jean Cassegrain, CEO da Longchamp e neto do fundador, cedeu uma entrevista por email à Executive Digest. Leia-a na íntegra na edição de Novembro de 2018.

Artigos relacionados
Comentários
Loading...

Multipublicações

Marketeer
Artigos de pele portugueses inspiram campanha
Automonitor
Renault apostada na eletrificação em 2020