Russos fazem fila à porta da H&M após retalhista reabrir portas para escoar stock

A gigante do vestuário Hennes & Mauritz (H&M), tal como outras marcas de retalho, anunciou que se iria retirar do mercado russo como consequência da ofensiva militar do país sobre a Ucrânia. A diferença é que reabriram as lojas para escoar os produtos antes de abandonarem totalmente o mercado, o que originou longas filas de clientes russos.

A IKEA tinha também anunciado uma estratégia semelhante, mas reabrindo para apenas uma venda online. Já a H&M decidiu abrir as portas fisicamente aos seus clientes, como tinha já anunciado previamente.

Vários clientes interpelados pela ‘Reuters’ às portas da H&M na Rússia não se conformavam com ma decisão do encerramento da atividade da retalhista no país.

Segundo o grupo, esta retirada deverá custar-lhe um total de dois mil milhões de coroas suecas (cerca de 189 milhões de euros), e afetar 6.000 funcionários. As perdas do grupo serão contabilizadas nas contas do terceiro trimestre, de acordo com Helena Helmersson, diretora-geral do grupo sueco.



Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.