Rússia ainda encaixa 100 milhões de euros por dia com exportações de gás para a Europa. “Culpa” é do aumento dos preços

A Gazprom continua a ganhar cerca de 100 milhões de euros por dia em receitas provenientes das exportações de gás para a Europa, uma vez que a subida acentuada dos preços está a compensar a queda de 75% da oferta aos clientes.

Os dados são avançados pela Independent Commodity Intelligence Services a que a ‘Bloomberg’ teve acesso e mostram que o valor é igual aos níveis do ano passado, mesmo com a queda acentuada dos fluxos de gás para a Europa. Em termos totais, o organismo estima que as receitas de gás da Rússia estejam nos 35 mil milhões de euros desde o início da guerra.

Os preços do gás já dispararam cerca de 118% face há um ano. Na Europa, na semana passada, avançaram 16% e a Gazprom anunciou que vai reduzir em mais de um terço as entregas de gás para a Europa, através do gasoduto Nord Stream, uma fonte importante de gás para os países europeus, após problemas com os equipamentos.

Ainda de acordo com a publicação, a empresa russa explicou que as entregas médias de gás diárias fora da União Soviética, que incluem a maioria dos países da UE, recuaram para o volume mais reduzido desde, pelo menos, 2014.

Noutros dados, a Agência Internacional de Energia (AIE) disse recentemente que as receitas das empresas globais de petróleo e gás podem vir a duplicar as receitas em 2022 para 4 biliões de dólares (cerca de 3,7 mil milhões de euros) devido ao aumento acentuado e sem precedentes dos preços da energia.

Os dados, a que a agência ‘TASS’ teve acesso, dão conta de que o valor elevado das receitas é suficiente para uma década de investimentos no desenvolvimento de tecnologias de produção de combustíveis com níveis reduzidos de carbono e tecnologias de armazenamento de gases de efeito de estufa. A AIE explica ainda que este valor é o dobro do nível registado em 2021.

Ainda esta quinta-feira, o Parlamento Europeu aprovou novas regras para armazenamento de gás, prevendo que as instalações na União Europeia (UE) estejam pelo menos 80% preenchidas até 01 de novembro próximo, devendo os países esforçar-se para chegar aos 85%.

Na mini sessão plenária da assembleia europeia, em Bruxelas, os eurodeputados deram então ‘luz verde’ ao novo regulamento sobre armazenamento do gás já acordado com os ministros da UE, quando se verificam problemas no fornecimento russo à Europa, estipulando que as instalações de armazenamento de gás estejam pelo menos 80% preenchidas até 01 de novembro próximo para evitar rutura no inverno.

Ler Mais


Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.