Reino Unido. Tribunal superior valida instalação da maior fábrica de gás da Europa

A aprovação do governo do Reino Unido à criação de uma grande fábrica de gás foi validada pelo tribunal superior, terminando assim a disputa legal instaurada após os ministros terem anulado as objeções à mudança climática da própria autoridade em planeamento do país, noticia o ‘The Guardian’.

Esta fábrica de gás, um projeto da Drax em North YorUnidokshire, será a maior da Europa e poderá responder por 75% das emissões do setor de energia do Reino Unido quando estiver totalmente operacional, de acordo com os advogados ambientais da ClientEarth, aos quais coube impedir que este projeto visse luz verde.

A polémica instalou-se quando a inspeção do planeamento recomendou que o governo não autorizasse a fábrica de gás de 3,6 GW porque a sua instalação “comprometeria o compromisso do governo, conforme estabelecido na Lei de Mudanças Climáticas de 2008, de reduzir as emissões de efeito estufa por ter efeitos adversos significativos”.

Este foi o primeiro grande projeto rejeitado pelas autoridades britânicas do planeamento com base nas exigências da crise climática. No entanto, Andrea Leadsom, a secretária de Estado para os negócios, energia e estratégia industrial à data pedido do planeamento, rejeitou o conselho e aprovou em outubro o projeto.

As ações do governo do Reino Unido para enfrentar a emergência climática estão, neste momento, a ser examinadas minuciosamente, sobretudo porque receberá uma reunião crítica da ONU no início de 2021. Nesta reunião, as nações devem alinhar pelo aumento drástico das suas promessas de reduzir as emissões de carbono para evitar um desastre de um disparar das temperaturas globais . Para que a reunião seja bem-sucedida, dizem os especialistas, o país anfitrião precisa assumir um papel de liderança em casa.

A Drax já se havia pronunciado anteriormente para frisar que a ambição da empresa é remover, não adicionar, carbono à atmosfera até 2030. O que será feito queimando madeira ou plantas e depois capturando e armazenando as emissões. A ambição de carbono negativo pode ser alcançada juntamente com “nova capacidade de energia de gás de alta eficiência”, disse a empresa, com a planta proposta “capaz” de ter a tecnologia de captura de carbono instalada no futuro.

A ClientEarth argumentou que a combinação da grande escala, nível de emissões e longa vida operacional do projeto fez dele uma ameaça significativa às metas de carbono do Reino Unido. O grupo jurídico já infligiu três derrotas aos ministros por não terem conseguido combater a poluição do ar.

Ler Mais
pub

Artigos relacionados
Comentários
Loading...