Reino Unido pode administrar vacina contra a Covid-19 a cidadãos com mais de 85 anos e profissionais de Saúde “no próximo mês”

No reino Unido, a vacina contra o coronavírus será administrada a cidadãos com mais de 85 anos e a profissionais de Saúde que estão na linha de frente do NHS no próximo mês, segundo avança o britânico ‘Mirror.co”.

A publicação apurou ainda que os pedidos para a administração da vacina vão ser agendados a partir do início de dezembro. O plano de administração contempla a organização de equipas a fazer entregas em lares de idosos.

Atualmente, existem duas vacinas a ser desenvolvidas, sendo que uma requer duas injeções e precisa de ser mantida a 70 graus negativos.

Já havia sido tornado público que o sistema de Saúde britânico, o NHS, estava a planear iniciar o lançamento da vacina a partir de dezembro, mas ainda num cenário hipotético, por fechar.

Este passo surge numa altura em que a taxa R do Reino Unido está a cair enquanto a Inglaterra se prepara para voltar ao bloqueio.

Os números divulgados pelo ‘Covid Symptom Study’, conduzido pelo King’s College London, sugerem que a taxa pode estar mais perto de 1 do que se pensava anteriormente. A taxa R do Reino Unido – que mede a velocidade com que o vírus está se espalhando – é estimada em cerca de 1,1.

Na Inglaterra, o estudo descobriu que é cerca de 1,1, no País de Gales acredita-se que seja 1,2 e na Escócia, 1,1, o que significa que o número de novos casos duplicará a cada 28 dias.

Na sexta-feira, a comissão SAGE do governo estimou a taxa entre 1,1 e 1,3, com uma taxa de crescimento diário de 2% a 4%.

Os especialistas estimam que haja cerca de 43.569 novos casos sintomáticos do vírus todos os dias na comunidade. Existem cerca de 602.857 casos atuais, sugerem os dados. É um aumento acentuado em relação à semana anterior, quando o número diário era estimado em cerca de 36.251 – com a taxa no norte da Inglaterra sendo cerca de quatro vezes maior do que no sul.

Aqueles com idade entre os 30 e os 59 anos estão a ser os mais visados, com um aumento mais acentuado de novos casos.

Na opinião de Tim Spector, professor de Epidemiologia Genética do King’s College London, “embora os casos ainda estejam a aumentar no Reino Unido, queremos tranquilizar as pessoas de que os casos não estão descontrolados, como foi relatado recentemente noutras pesquisas”.

“Ainda estamos a assistir a um aumento constante a nível nacional, duplicando a cada quatro semanas, com a possível exceção da Escócia, que pode estar a dar sinais de desaceleração”, acrescentou.

Ler Mais


Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.