Randstad Insight: Employer Brand Research 2022

Normalmente não são os cargos de maior relevo numa organização, mas os profissionais de finanças e administração de empresas desempenham papéis fulcrais numa empresa, fornecendo um apoio crítico que afecta profundamente o desempenho e a saúde. No actual ambiente económico altamente volátil e incerto, estes profissionais precisam de proporcionar clareza e orientação aos seus líderes empresariais. E, como em tantas funções nos dias de hoje, devem oferecer novas competências e conhecimentos num mundo digital.
Encontrar estas competências não é fácil, e atrair os candidatos certos é ainda mais desafiante. Criar a proposta de valor certa para o colaborador exige uma compreensão clara do que motiva o talento para se juntar e permanecer com um empregador. E entre os trabalhadores de finanças e administração de empresas, a nossa pesquisa encontrou uma clara divergência entre os dois quando se trata do que é importante.
Enquanto a progressão na carreira é claramente um factor importante para os trabalhadores de finanças (citado por 52%), os colaboradores de administração de empresas classificam um bom ambiente de trabalho mais importante (51%). A estabilidade profissional vem em segundo lugar para os trabalhadores de administração de empresas e em quarto lugar para os profissionais de finanças.
O desenvolvimento de uma proposta de valor atractiva para os trabalhadores e uma experiência de talento para os profissionais nestas áreas deve ser uma prioridade para as empresas. A nossa pesquisa descobriu que os trabalhadores de finanças e administração de empresas mudaram ou querem mudar de emprego durante este tempo de incerteza. No total, 12% mudaram de emprego, e 23% tencionam mudar de emprego. Ambos os números são superiores em comparação com o ano anterior. O comportamento de mudança de emprego é mais elevado entre os profissionais de finanças, com 15% a mudarem de emprego e 27% a pretenderem fazê-lo.
Como é que os empregadores podem minimizar a mudança de emprego dos colaboradores? Os nossos dados revelaram que das propostas de valor superior que os trabalhadores querem de um empregador, a maioria das empresas cumpre, com uma grande excepção: um pacote de compensação atractivo. Como é o caso ano após ano, oferecer um salário e benefícios competitivos é o factor mais motivador, mas os profissionais de finanças e administração de empresas afirmam que ocupa o oitavo lugar entre as 10 melhores qualidades que os seus empregadores oferecem. Dão boas notas pela capacidade da sua empresa de oferecer nas outras quatro primeiras categorias: um bom equilíbrio entre o trabalho e a vida pessoal, saúde financeira, estabilidade profissional e um bom ambiente de trabalho.
Outra consideração importante para a criação de uma proposta de valor convincente para os colaboradores é a política da empresa em matéria de trabalho à distância. Quase metade (47%) quer que o empregador ofereça flexibilidade em torno de quando e onde trabalham, tendo mais de um terço (36%) passado mais tempo a trabalhar remotamente em 2021. Globalmente, no entanto, a percentagem de pessoas de finanças e administração de empresas capazes de trabalhar à distância diminuiu de 66% no ano anterior para 54%. Como as empresas têm dificuldade em preencher postos de trabalho, este é um dos benefícios que podem querer rever.
Desejar um bom equilíbrio profissional-pessoal não significa que os trabalhadores sejam menos sérios nos seus postos de trabalho. Uma maioria esmagadora (81%) revela que as oportunidades de progressão na carreira são importantes para eles, e três quartos (74%) indicam ser provável que fiquem com o seu empregador se lhes proporcionarem formação e desenvolvimento.
Os nossos dados mostram que as empresas devem desenvolver um pacote bem equilibrado para incentivar os que procuram emprego a juntarem- se ao seu negócio e os colaboradores a permanecerem. Embora o dinheiro seja sempre o principal motivador, a oferta de benefícios mais suaves pode vir a contribuir em muito para ajudar uma empresa a tornar-se um empregador de eleição.

O QUE A FORÇA DE TRABALHO QUER

As cinco principais razões para escolher um empregador

Os cinco factores mais importantes para os profissionais de finanças e administração de empresas não mudaram no último ano. Analisando a variação regional, os europeus consideram os salários e benefícios atractivos mais importantes (74%), enquanto os da LATAM valorizam as oportunidades de progressão na carreira como o factor mais importante (76%).

➜ Salário e benefícios

Salário e benefícios é o factor mais importante para os colaboradores de finanças e administração de empresas (citado por 66%). Este valor é inferior ao de 2021 (69%). Este factor é mais importante para os trabalhadores europeus (74%).

➜ Equilíbrio profissional-pessoal

O equilíbrio entre o trabalho e a vida pessoal é o segundo factor mais importante, com 61%. Está ligeiramente mais baixo do que em 2021 (64%). Tanto os trabalhadores europeus como os norte-americanos classificam este factor mais elevado (69% e 65%) em comparação com os trabalhadores de outras regiões.

➜ Saúde financeira

Como o terceiro factor mais importante, 59% dos colaboradores de finanças e administração de empresas sentem que a saúde financeira de uma empresa é um factor fundamental. As mulheres sentem mais isto que os homens (62% vs. 56%), e as da Europa valorizam mais este factor que as da América do Norte (62% vs. 55%).

➜ Estabilidade profissional

A estabilidade profissional é o quarto factor mais importante (57%). Na Europa, é ainda mais importante (64%), mas menos na América do Norte (50%).

➜ Ambiente de trabalho

Um bom ambiente de trabalho é o quinto factor mais importante (52%). Os trabalhadores da LATAM dão-lhe uma classificação alta (67%). É também ligeiramente mais importante para as mulheres de finanças e administração de empresas (53%) do que para os homens (50%).

DIFERENÇAS REGIONAIS ENTRE OS FACTORES DE EVP

Embora o salário e benefícios seja o factor mais importante para o profissional médio de finanças e administração de empresas, isto não acontece em todas as regiões. A América do Norte classifica o equilíbrio entre o trabalho e a vida pessoal como o factor mais importante, enquanto na LATAM a progressão na carreira é mais importante.

PERCEPÇÃO DA OFERTA DO EMPREGADOR EM TODAS AS FUNÇÕES

A noção da discrepância entre o que os profissionais consideram importante e o que pensam que a sua entidade patronal oferece proporciona conhecimentos valiosos para a criação de uma proposta de valor convincente para o colaborador. Os empregadores no sector de finanças e administração de empresas são vistos como financeiramente saudáveis e como proporcionando estabilidade profissional e um bom equilíbrio entre o trabalho e a vida pessoal. No entanto, os profissionais não consideram este sector como bom a proporcionar um salário atractivo.

➜ Avaliação do actual empregador

1. Saúde financeira;
2. Estabilidade profissional a longo prazo;
3. Equilíbrio profissional-pessoal;
4. Excelente reputação;
5. Possibilidade de trabalhar à distância/de casa;
6. Bom ambiente de trabalho;
7. Progressão na carreira;
8. Salário e benefícios atractivos;
9. Oferece um conteúdo de trabalho interessante;
10. Retribui à sociedade.

➜ Perfil do empregador ideal

1. Salário e benefícios atractivos;
2. Equilíbrio profissional-pessoal;
3. Saúde financeira;
4. Estabilidade profissional a longo prazo;
5. Bom ambiente de trabalho;
6. Progressão na carreira;
7. Possibilidade de trabalhar à distância/de casa;
8. Oferece um conteúdo de trabalho interessante;
9. Excelente reputação;
10. Retribui à sociedade.

EMPREGADORES IDEAIS VS EMPREGADORES ACTUAIS PARA OS COLABORADORES DE FINANÇAS

➜ Os factores mais importantes

1. Salário e benefícios atractivos (67%);
2. Equilíbrio profissional-pessoal (64%);
3. Saúde financeira (62%);
4. Estabilidade profissional a longo prazo (58%);
5. Progressão na carreira (52%).

As classificações dos cinco principais factores para os profissionais de finanças não diferem das do trabalhador médio de finanças e administração de empresas. Os profissionais de finanças valorizam a progressão na carreira como ligeiramente mais importante do que a média de todos os trabalhadores desta categoria (51%). Da mesma forma, classificam os seus principais factores como mais importantes do que os de administração de empresas.

➜ A proposta dos empregadores

1. Saúde financeira (74%);
2. Estabilidade profissional a longo prazo (72%);
3. Equilíbrio profissional-pessoal (64%);
4. Excelente reputação (61%);
5. Possibilidade de trabalhar à distância/de casa (60%).

Só três dos cinco factores mais importantes para os profissionais de finanças são oferecidos pelo seu actual empregador. A progressão na carreira é o quinto mais importante, mas está classificado em sexto lugar na avaliação da sua actual entidade patronal. Salário e benefícios atractivos, que está classificado em primeiro lugar no empregador ideal, está em sétimo lugar entre os principais benefícios oferecidos pelos seus empregadores.

EMPREGADORES IDEAIS VS EMPREGADORES ACTUAIS PARA OS COLABORADORES DE ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS

➜ Os factores mais importantes

1. Salário e benefícios atractivos (62%);
2. Estabilidade profissional a longo prazo (57%);
3. Equilíbrio profissional-pessoal (56%);
4. Saúde financeira (55%);
5. Bom ambiente de trabalho (51%).

Os profissionais de administração de empresas classificam os seus cinco factores mais importantes de forma semelhante à média de todos os trabalhadores de finanças e administração de empresas. Ao olhar para a classificação, a estabilidade profissional e o equilíbrio entre o trabalho e a vida pessoal são classificados mais elevados em comparação com a média.

➜ A proposta dos empregadores

1. Saúde financeira (73%);
2. Estabilidade profissional a longo prazo (73%);
3. Equilíbrio profissional-pessoal (67%);
4. Excelente reputação (66%);
5. Bom ambiente de trabalho (63%).

Quatro dos cinco factores mais importantes dos trabalhadores de administração de empresas são oferecidos pelo seu actual empregador. O salário e benefícios atractivos não se encontram entre os cinco principais benefícios que os seus empregadores oferecem, ocupando actualmente o último lugar entre todos os factores.

O QUE OS POTENCIAIS COLABORADORES QUEREM

O salário e benefícios é o principal incentivo para os profissionais de finanças e administração de empresas, mas muitas vezes não é considerado um benefício de topo oferecido pelo seu empregador. Por conseguinte, é um ponto-chave para as organizações que querem reter e atrair colaboradores.
Um bom equilíbrio profissional-pessoal é um dos cinco principais incentivos para os profissionais de finanças e administração de empresas, e os trabalhadores dizem que o seu actual empregador está efectivamente a cumprir este objectivo, pelo que os empregadores devem continuar a proporcionar este equilíbrio e a promover o seu sucesso dentro do sector.
Os profissionais de finanças preocupam-se mais com a progressão na carreira em comparação com os profissionais de administração de empresas. As empresas devem também enfatizar as oportunidades de progressão na carreira nas suas organizações para atrair talento financeiro.

PRINCIPAIS TENDÊNCIAS

Comportamento de mudança global

O comportamento de mudança entre os profissionais de finanças e administração de empresas aumentou para 12% em relação aos 8% de há um ano, mas isto é inferior em comparação com o trabalhador global médio (16%). Os trabalhadores mais jovens (<24 anos) mudaram mais frequentemente (21% vs. 12%). Em todo o mundo, os profissionais norte-americanos mudaram de empregador com mais frequência (20%) do que na Europa (10%), APAC (11%) ou LATAM (15%).
A intenção dos profissionais de finanças e administração de empresas de mudar no primeiro semestre de 2022 foi maior em comparação com o ano anterior (23% vs. 15%). É semelhante à média dos trabalhadores globais (24%). Os que vivem na Europa são muito menos propensos a mudar de empregador (18%) em comparação com quem vive na América do Norte (38%), LATAM (27%) ou APAC (21%).

Comportamento de mudança de emprego

➜ Finanças

Profissionais de finanças mais jovens e masculinos trocam mais. Uma pequena parte (15%) dos profissionais de finanças mudou de empregador nos últimos seis meses de 2021, o que é mais elevado em comparação com o ano anterior (9%). A intenção de mudar também é mais elevada (27% vs. 14%).
O comportamento de mudança é ligeiramente superior à média dos profissionais de finanças e administração de empresas, que é de 12%, com os homens a tenderem a mudar mais frequentemente do que as mulheres (18% vs. 11%). O mesmo se pode dizer dos trabalhadores mais jovens até aos 35 anos, que tendem a mudar mais (21%) em comparação com os restantes (12%).

➜ Administração de empresas

Maior intenção de mudar entre os trabalhadores de nível médio. Apenas 8% dos trabalhadores de administração de empresas mudaram de emprego nos últimos seis meses de 2021, número ligeiramente superior a um ano atrás (7%). A intenção de mudar permaneceu igual (16%).
Os profissionais de administração de empresas têm uma taxa de permanência mais elevada (92%) em comparação com a média do seu grupo de colegas de finanças (85%). Os trabalhadores com formação média têm a maior intenção de mudar (27%) em comparação com os outros (12%).

Como os trabalhadores de finanças e administração de empresas encontram novas oportunidades de emprego

Os três principais canais que os colaboradores que mudaram de emprego usaram na última metade de 2021 alteraram em comparação com o ano anterior. O LinkedIn domina agora como o canal n.º 1, seguido pelas agências de pessoal e o principal canal do ano passado: as agências de recrutamento. O Indeed.com continua a ser o portal de emprego de topo, mas diminuiu 1%. Embora as redes sociais não seja um canal de topo, o Facebook continua a ser o canal de topo das redes sociais, mas com um ligeiro decréscimo de 5% em comparação com o ano passado. O Instagram mostra um decréscimo de 13%.

Funções dos canais de pesquisa

➜ Finanças

O LinkedIn é o canal de topo. O LinkedIn é o canal mais utilizado pelos profissionais de finanças (41%) – superior ao trabalhador médio de finanças e administração de empresas (37%). Em segundo lugar estão as agências de pessoal com 35%, um aumento em relação a 2021 (8%). Em terceiro temos as agências de recrutamento com 34%, as primeiras em 2021 (45%).
Os profissionais de finanças classificam o Indeed.com como o seu principal canal de portal de emprego (52%), semelhante ao dos profissionais médios de finanças e administração de empresas.
Ao analisar todos os canais das redes sociais, conclui-se que o Facebook é o canal de topo utilizado, sendo mais que o profissional médio de finanças e administração de empresas (53% vs. 48%).

➜ Administração de empresas

Ligações pessoais/referências é o principal canal. Os profissionais de administração de empresas utilizam as ligações pessoais/ referências como sendo o seu principal canal para encontrar novos empregos (37%), e isso é significativamente superior ao trabalhador médio de finanças e administração de empresas (29%).
Ao olhar para portais de emprego, o segundo canal mais utilizado (34%), o Indeed.com, domina com 48% dos utilizadores do portal a usá-lo.
Os portais de carreira das empresas são o terceiro canal mais utilizado (28%) quando se procura um novo emprego. Isto é muito mais elevado em comparação com o ano passado, quando este estava apenas no nono lugar (12%).
As redes sociais vêm a ser o quarto canal mais utilizado (28%), sendo que o Instagram domina, com 34%. Isto difere muito da média dos profissionais de finanças e administração de empresas.

Tirar partido de talentos em busca de novas oportunidades

Tanto os que querem mudar como os que querem ficar no sector financeiro e de administração de empresas aumentaram nos últimos 12 meses. Os empregadores beneficiarão de uma estratégia forte para contrariar estas mudanças e devem concentrar-se nos factores-chave (tais como salário, estabilidade profissional e equilíbrio entre o trabalho e a vida pessoal) de modo a reter e atrair talento.
O LinkedIn tornou-se um canal particularmente importante para este grupo de profissionais; contudo, o impacto das agências de pessoal, agências de recrutamento e portais de emprego não deve ser negligenciado. Os empregadores terão de determinar a combinação certa de canais para a sua estratégia de employer branding.
Nesta era em que as redes sociais são um canal fundamental para atingir os mercados-alvo preferidos, os empregadores precisam de estar cientes deste canal e concentrarem-se principalmente no Facebook e no Instagram como os seus principais canais para chegar a novos colaboradores.

SIGNIFICADO DO TRABALHO E DESENVOLVIMENTO DE CARREIRA

Importância vs. Oferta de Reskilling/Upskilling

Ao olhar para a importância e disponibilidade do reskilling e do upskilling, os profissionais financeiros são mais exigentes quando se trata da importância do reskilling em comparação com os profissionais de administração de empresas (85% vs. 73%). Quando se trata de empregadores que oferecem suficientes oportunidades de reskilling, 71% dos profissionais de finanças descobrem que o seu empregador oferece essas oportunidades, enquanto apenas 53% dos profissionais de administração de empresas sentem o mesmo. Isto liga-se ao facto de 74% dos profissionais de finanças e administração de empresas continuarem a trabalhar para o seu empregador quando é oferecido o reskilling. Por conseguinte, é fundamental que os empregadores ofereçam estas oportunidades para reter talentos.

Importância global do significado do trabalho e do crescimento da carreira pessoal

Significado do trabalho mais importante para 42% dos profissionais de finanças e administração de empresas. O significado do trabalho tornou-se mais importante para 42% dos colaboradores de finanças e administração de empresas nos últimos 12 meses, enquanto 15% sentiram que se tornou menos importante. Face a todos os trabalhadores globais, os profissionais de finanças e administração de empresas valorizam um pouco mais (42% vs. 39%).
Ao olhar para as regiões, os profissionais de finanças e administração de empresas que vivem na APAC valorizam significativamente mais o significado do trabalho em comparação com a Europa (59% vs. 24%). Os homens tendem a valorizar mais o significado do trabalho em comparação com as mulheres, com uma diferença de 4% (44% vs. 40%).

Crescimento de carreira importante para três em cada quatro profissionais de finanças e administração de empresas.
A maioria (76%) dos profissionais de finanças e administração de empresas consideram o seu crescimento/ progressão de carreira como muito ou algo importante. Isto é ainda mais importante para os profissionais de finanças em comparação com os profissionais de administração de empresas (81% vs. 67%).
Estas atitudes estão fortemente relacionadas com a idade, uma vez que os 18 a 24 anos tendem a considerar o crescimento da sua carreira mais importante (93%) em comparação com os grupos etários 25-64 anos (74%). As diferenças locais não devem ser negligenciadas uma vez que os trabalhadores que vivem na LATAM consideram a progressão na carreira mais importante (93%) em comparação com a APAC (84%), América do Norte (72%) e Europa (62%).

Conclusões globais sobre o significado do trabalho e o desenvolvimento da carreira

O trabalho tornou-se mais importante à luz dos acontecimentos mundiais de 2021. Este é particularmente o caso dos profissionais de finanças, dos quais 81% consideram importante que lhes sejam oferecidas boas oportunidades de progressão na carreira.
Para os trabalhadores mais jovens (até 24 anos), a importância do trabalho tornou-se mais evidente, possivelmente não só devido aos eventos mundiais, mas também devido à fase da carreira em que se encontram. De alguma forma relacionado com isto, as gerações mais jovens colocam mais ênfase no crescimento da carreira pessoal do que os trabalhadores mais velhos. Os empregadores devem ter isto em mente ao desenvolverem uma estratégia para diferentes grupos etários.
Os empregadores devem também estudar a possibilidade de oferecer oportunidades de qualificação aos seus trabalhadores se ainda não o fizerem num programa formal. Uma vez que uma grande maioria afirma que é provável que permaneçam com o seu empregador se tais oportunidades forem oferecidas (74%), as empresas devem ter isto em mente quando procuram melhorar a retenção.

EQUILÍBRIO PROFISSIONAL-PESSOAL E TRABALHO À DISTÂNCIA

Finanças e administração de empresas – Equilíbrio entre trabalho e vida pessoal, e trabalho à distância

Como o equilíbrio entre o trabalho e a vida pessoal é o segundo maior factor, é importante compreender o que esta força de trabalho procura ao tentar melhorar o seu equilíbrio entre a vida profissional e a vida pessoal.
Para a força de trabalho de finanças e administração de empresas, as duas principais acções tomadas são o trabalho mais remoto (36%) e a opção por faixas horárias mais flexíveis (28%). Isto corresponde ao que os trabalhadores esperam que o seu empregador lhes proporcione: sistemas de trabalho flexíveis, tais como localização e horários de turnos (47%) e compensação para além do salário, como planos de reforma, prémios e compensação por perdão de empréstimos (42%). Quase igualmente atractivos são as regalias dos colaboradores (37%) e os benefícios dos cuidados de saúde (36%).

Principais conclusões sobre acções tomadas para melhorar o equilíbrio profissional-pessoal

A onda crescente de mudança de empregador por profissionais de finanças e administração de empresas exige uma forte estratégia de retenção e recrutamento. Essa estratégia deve concentrar-se no apoio ao equilíbrio profissional-pessoal destes profissionais (por exemplo, oferecendo horários flexíveis e trabalho à distância).
Além disso, os profissionais de finanças e administração de empresas estão interessados em quaisquer incentivos que se prendam com compensações para além do salário e das regalias dos colaboradores.
Com 35% dos profissionais de finanças e administração de empresas a desejarem oportunidades de desenvolvimento de carreira, os empregadores devem analisar atentamente a forma como podem satisfazer esta expectativa.

Conclusões sobre o trabalho à distância no sector de finanças e administração de empresas

Enquanto 54% dos profissionais médios de finanças e administração de empresas trabalhou à distância, os profissionais de finanças fizeram-no mais do que os profissionais de administração de empresas, com os homens a reportarem trabalhar à distância um pouco mais do que as mulheres (58% vs. 52%).
Para os profissionais de administração de empresas, a faixa etária dos 35-54 anos tende a trabalhar mais remotamente em comparação com os restantes (61% vs. 42%). Não há diferença entre homens e mulheres dentro do subgrupo.

Finanças e administração de empresas a trabalhar remotamente olhando para o futuro

Olhando para o futuro, quanto do seu tempo espera estar a trabalhar remotamente/de casa? A maioria dos actuais trabalhadores de finanças e administração de empresas que trabalham à distância (54%) espera continuar a fazê-lo no futuro (78%), embora não na medida em que o têm feito. Apenas 20% dos trabalhadores à distância devem continuar a fazê-lo durante pelo menos 90% do tempo.
Existe uma variação limitada entre regiões: é mais provável que os trabalhadores da APAC esperem trabalhar remotamente (82%), e a LATAM tem as expectativas mais baixas (69%). Não há diferença material entre os trabalhadores de finanças e de administração de empresas.

Artigo publicado na Revista Executive Digest n.º 199 de Outubro de 2022

Ler Mais



loading...

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.