Quem são as gigantes que estão a protagonizar um grande duelo na Bolsa de Londres?

A pandemia do novo coronavírus causou uma reviravolta histórica entre as grandes empresas britânicas e os setores que tradicionalmente dominavam a Bolsa de Londres, como o bancário e o petrolífero, estão a ser ultrapassados ​​por multinacionais de negócios menos expectáveis nestas corridas, noticia o ‘Expansion’.

E assim chegamos ao grande duelo que atualmente protagonizam, na disputa do trono da maior capitalização, as multinacionais Unilever e AstraZeneca. No final da sexta-feira passada, o valor da Unilever era de 112,6 biliões de libras (126,1 mil milhões de euros), enquanto o da AstraZeneca alcançava 107,6 biliões de libras.

Se por um lado, muitas das marcas da Unilever (especialmente produtos de limpeza e higiene, como Cif, Domestos e Dove) estão a vender mais devido às medidas da população para conter as vias de transmissão da covid-19, no caso da AstraZeneca, a expectativa de que possa desenvolver uma vacina contra o vírus potenciou o seu preço de mercado.

O conselho da Unilever acaba de aprovar uma simplificação de sua estrutura, deixando de ter as duas sedes em locais diferentes (Reino Unido e Holanda) e uma em Londres. A empresa observa que essa transformação facilitará as vendas de divisões não estratégicas (cujos ativos agora estão espalhados por várias empresas do grupo) e as compras pagando com ações.

Depois de vender seu negócio de margarinas à KKR por 6,825 milhões de libras há dois anos, a Unilever agora quer abandonar suas marcas de chá, que podem valer cerca de 5 biliões de libras. O grupo, até ao momento anglo-holandês, abriu as portas para fechar todo o negócio de alimentos e gelados (com marcas como Knorr, Hellman’s e Ben & Jerry), que serão agrupados numa subsidiária em Roterdão. Após a abertura de capital, os analistas da Jefferies avaliam a operação em 38 mil milhões de euros.

Também existem rumores de uma grande operação da AstraZeneca. O alegado interesse na Gilead, uma empresa farmacêutica dos EUA também envolvida no desenvolvimento de produtos anti-Covid, acalmou, mas alguns analistas acreditam que pode fazer sentido a médio prazo. A capitalização da Gilead é de quase 90 mil milhões de euros.

Apenas alguns anos atrás, a Unilever e a AstraZeneca tiveram que contornar as respectivas tentativas de OPA, reagindo positivamente às aquisições hostis da Kraft Heinz e da Pfizer. Agora, têm a oportunidade de liderar seus setores globalmente.

Ler Mais
pub

Comentários
Loading...