Quatro tendências de sustentabilidade que as empresas devem ter em conta em 2023

O ano novo está a chegar e com ele a necessidade de fazer algumas adaptações nas empresas. Sendo a sustentabilidade um dos fatores mais relevantes no panorama mundial, tendo em conta o limite imposto pelas Nações Unidas para que os países atinjam o objetivo da neutralidade carbónica (net-zero) vai assistir-se a algumas alterações nas políticas das empresas.

Neste contexto, a PETRONAS Lubricants Internacional, indicou quatro tendências de sustentabilidade que as empresas devem ter em conta em 2023 e que podem catapultar-nos para um futuro mais verde:

Plantar florestas para combater as alterações climáticas e criar um impacto positivo
Em média, uma árvore absorve cerca de 25kg de CO₂ por ano e, em troca, produz 177kg de oxigénio. Como resultado, os governos em todo o mundo estão agora a fazer das iniciativas de plantação de árvores um pilar central dos seus objetivos net-zero, e a União Europeia pretende plantar mais de três mil milhões de árvores ao longo dos próximos oito anos. Plantar árvores permite abrandar o aumento das temperaturas globais e reduzir as emissões de carbono, mas também cria segurança alimentar, comércio, emprego e educação nas comunidades locais em todo o mundo – tendo, assim, um impacto social positivo. Através de iniciativas corporativas ou individuais, é fácil plantar uma árvore e fazer a diferença.

Utilizar veículos híbridos e elétricos que vão dominar as estradas
Em 2022 os veículos elétricos (VE) e híbridos registaram um ano recorde, com mais de 6.4 milhões de vendas globais onde se incluem compras de empresas. Esta nova popularidade deve-se em parte, à possível proibição da venda de novos automóveis a gasolina e diesel proposta pela UE. No entanto, os benefícios dos VE não se limitam à redução das emissões. Graças à maior eficiência do seu motor, o custo por quilómetro de um VE costuma ser inferior ao dos seus equivalentes alimentados por combustíveis fósseis. Os VE modernos também costumam ter uma manutenção mais económica, podem ser carregados em casa e até superar os carros a gasolina em termos de aceleração e rotações. Finalmente, graças aos incentivos à compra de VE concedidos pelos governos, não é surpreendemente que se preveja que as vendas venham a superar as dos veículos a gasolina até 2025.

Mudar a tecnologia dos fluidos dos veículos
Embora os consumidores saibam que devem tornar-se mais sustentáveis e mudar os seus hábitos quotidianos nesse sentido, o foco continua a estar maioritariamente nas empresas, que têm de dar o exemplo e oferecer produtos e serviços mais ecológicos. Por exemplo, no caso da ascensão dos VE na Europa: embora emitam menos carbono, estes veículos exigem fluídos que ofereçam controlo superior sobre a fricção, o desgaste e a gestão térmica, e que maximizem o desempenho e a eficiência. As novas soluções de fluidos EV que respeitam o ambiente, ajudam os condutores a acelerar no seu caminho rumo a um futuro mais ecológico, assegurando que estão a fazer a sua parte pelo ambiente e devem ser adotadas nas frotas empresariais.

Realizar investigação e desenvolver internamente sistemas mais ecológicos
O desenvolvimento interno ajuda as marcas a adotar processos mais sustentáveis em toda a cadeia de abastecimento. Dessa forma, é necessário investir em I&D (investigação e desenvolvimento) para continuar a inovar e encontrar melhores formas de fazer as coisas, desde cima até baixo na cadeia de valor.

Ainda existe pela frente uma longo caminho rumo à sustentabilidade, mas se as empresas se comprometerem a reduzir as suas emissões e redistribuírem as suas capacidades técnicas para desenvolver produtos mais ecológicos e práticas positivas e responsáveis, pode conseguir-se um contributo valioso e duradouro para a proteção do planeta e das pessoas.

Ler Mais



loading...

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.