Próxima semana à lupa: Dos mercados à economia – e outras coisas que precisa de saber

Do calendário económico ao que vai mexer com os mercados na próxima semana. Saiba o que vai estar na agenda nacional e internacional.

Como será a próxima semana? 

Durante a próxima semana teremos três reuniões de Bancos Centrais importantes. A Fed irá reunir-se na quarta-feira, o Norges Bank na quinta-feira e o Banco do Japão na sexta-feira.

No que respeita à reunião da Fed, sem dúvida que das três é a mais importante. Acreditamos que a Fed continuará com a sua narrativa que a inflação é provisória. O máximo que poderemos esperar é que comecem a falar mais formalmente sobre a redução dos estímulos (tapering) e sobre um possível aumento das taxas de referência em 2023. Mesmo que não seja uma surpresa, torna-se agora bastante óbvio que a reação da Fed mudou consideravelmente. Se a Fed agisse como antigamente e com o rácio atual de população/população empregada, com o atual índice PCE e o mercado de ações em máximos históricos os juros já subiriam neste outono e de forma bastante agressiva.

Na quinta-feira será a vez do Banco da Noruega entrar em ação. Na Noruega, a inflação subjacente foi de 1,5% y/y em Maio, que foi  0,4 ppt abaixo da previsão do Norges Bank. Parece mais dramático do que é. Basicamente, o efeito de um NOK mais forte veio um pouco mais cedo do que o Norges Bank esperava, que acreditava que a inflação subjacente chegaria apenas em Agosto. Acreditamos que a inflação subjacente deverá cair nos próximos meses e que o Norges Bank aumentará a taxa de juro na sua reunião de Setembro, o que deverá ser sinalizado nesta quinta-feira. O foco continua a ser o estado da economia real e o início da normalização das taxas.

Por fim, na sexta-feira teremos o Banco do Japão que deverá ser a reunião menos importante das três mencionadas. Espera-se que o BoJ não faça qualquer alteração à sua política monetária, mas que faça alguns aumentos aos programas de ajuda atuais para as empresas atingidas pelo COVID.

Além destas três reuniões ficaremos a saber qual o estado do setor da manufatura nos EUA com o Empire State (terça-feira) e o Philly Fed (quinta-feira), que muito provavelmente ainda mostrarão uma grande discrepância entre a oferta e a procura.

As vendas a retalho nos EUA aumentaram muito em 2021 e devem cair um pouco em maio, o que não deverá alterar a sensação dum consumo muito forte por parte dos consumidores na terça-feira.

Espera-se também que a construção de novas casas nos EUA aumente 5% m/m (quarta-feira). Embora não tenhamos nenhuma visão sobre qualquer previsão mensal, a habitação é uma área onde deveremos começar a assistir a alguma deterioração. O aumento dos preços das casas e as taxas ligeiramente mais altas levaram as famílias a adiar a compra de casa. Os pedidos de hipotecas já estão a cair e as vendas de casas pendentes também, portanto, devemos estar atentos a alguma correção no setor imobiliário nos próximos meses.

Nuno Mello, analista XTB

Ler Mais


Comentários
Loading...