Próxima semana à lupa: Acalmia das potenciais vacinas ‘versus’ crescentes restrições económicas

Na próxima semana, o mercado acionista deverá estar mais calmo com as notícias positivas sobre as potenciais vacinas a serem compensadas pelas crescentes restrições econômicas destinadas a conter o recente aumento no número de infeções e hospitalizações.

A rotatividade das carteiras dos investidores deverá continuar, trocando as ações tecnológicas por ações cíclicas, à medida que os novos desenvolvimentos das vacina contribuem para a melhoria do sentimento e da confiança dos investidores quanto às perspetivas para o próximo ano.

A primeira semana de Dezembro traz-nos um calendário macroeconómico bastante preenchido.

Na terça-feira o RBA irá reunir-se para decidir sobre a taxa de juro de referência. O consenso é para que se mantenha inalterada nos atuais 0,10%. Serão ainda divulgados os dados do OMI em vários países da europa, da zona euro como um tudo e do Canadá. Os investidores deverão prestar atenção se haverá uma interrupção da tendência de subida que se tem verificado nos últimos 5 meses. Nos EUA teremos ainda os dados do ISM referentes a Novembro e o discurso de Jerome Powell.

Na quarta-feira, teremos novamente declarações do chairman da Fed e a última publicação do Beige book deste ano.

Na quinta-feira voltamos a ter a divulgação dos PMI de serviços na Europa e nos Estados Unidos bem como os pedidos semanais de subsídio de desemprego.

E na sexta-feira o dado mais aguardado da semana – os Non-farm-payrolls (habitualmente divulgados na primeira sexta feira de cada mês). É esperado um valor inferior ao do mês de Outubro, dando continuidade à tendência de queda que se verifica desde Julho, o que confirma que a recuperação econômica provavelmente será instável antes de retomar aos níveis pré-pandêmicos.

A semana em resumo

Na semana que hoje termina os mercados voltaram a subir com a diminuição do risco político. O anúncio formal da General Services Administration (GSA) que dará acesso aos fundos de transição para o novo governo, liderado por Joe Biden, ajudou a acalmar os mercados e causou uma pequena recuperação nos mercados europeus e asiáticos.

A administradora do GSA Emily Murphy deu acesso formal aos fundos de transição para o presidente eleito Biden, admitindo inequivocamente que ele venceu as eleições presidenciais de 2020. As tentativas contínuas de Trump para anular as normas democráticas da nação falharam mais uma vez esta semana com o estado de Michigan a confirmar os resultados eleitorais.

Embora os mercados há muito tenham descontado a vitória de Biden e estejam a recuperar, esta decisão por parte do GSA garante que não haverá qualquer impasse constitucional e que haverá uma transição pacífica de poder – algo que sempre aconteceu nos mais de 200 anos de história dos EUA.

A semana foi também marcada pela reduzida liquidez nos mercados a partir do final do dia de quarta-feira devido ao feriado do dia de Ação de Graças o que trouxe alguma volatilidade sobretudo para o mercado cambial.

 

*Nuno Mello, Analista XTB

Ler Mais

Comentários
Loading...