Preços dos alimentos sobem pelo 10º mês consecutivo e estão em máximos de sete anos

O preço global dos produtos alimentares continua a subir, alcançando valores muito elevados e ameaçando a carteira dos consumidores, de acordo com a agência ‘Bloomberg’, que cita a Organização das Nações Unidas (ONU).

O indicador dos custos globais dos alimentos da ONU subiu pelo 10.º mês consecutivo em março para o nível mais alto desde 2014. O avanço do mês passado foi impulsionado essencialmente por um aumento nos óleos vegetais, produtos lacticínios e carne, que contribuíram para a subida do índice em 2,1%. Em sentido contrário, o preço do açúcar e dos grãos registou uma desvalorização.

Os preços dos alimentos estão a ser alavancados pelo aperto no fornecimento de muitos produtos básicos, que ameaçam uma inflação mais rápida, explica Abdolreza Abbassian, economista da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação. Esta tendência verifica-se sobretudo em alguns dos países mais pobres dependentes de importações, que têm redes de segurança social e poder de compra limitados e lutam em simultâneo contra a pandemia de Covid-19.

Abbassian sublinha no entanto que em março «podemos ter atingido um nível em que, a partir de agora, mesmo que registemos aumentos de preços, serão ligeiramente mais subtis» do que aqueles que têm sido verificados até aqui, adiantou.


Artigos relacionados
Comentários
Loading...