Preço das casas dispara 10% num ano. Vendas caem mais de 6%

Os preços das habitações em Portugal voltam a subir, agora 10,1%, no 2.º trimestre deste ano face ao período homólogo do ano anterior e 0,9% acima do observado no 1.º trimestre, de acordo com o INE.

Entre Abril e Junho de 2019 foram transaccionadas 42 590 habitações, traduzindo uma redução de 6,6% comparativamente com o 2.º trimestre de 2018. O valor das transacções observadas neste período foi aproximadamente 6,1 mil milhões de euros.

Em relação ao trimestre anterior, o preço da habitação cresceu 3,2% (3,6% no 1.º trimestre de 2019). O aumento dos preços foi mais intenso no caso das habitações novas (variação de 4,1%), mais 1,1% que o observado nas habitações existentes.

Ao detalhe

Entre Abril e Junho de 2019, o valor das habitações transaccionadas aumentou em termos homólogos em quatro das sete regiões nacionais: na Região Autónoma dos Açores (12,0%), no Centro (9,6%), na Região Autónoma da Madeira (8,5%) e no Algarve (1,8%). À semelhança do observado no número de transacções, no que respeita ao valor das mesmas, a Área Metropolitana de Lisboa e o Norte apresentaram reduções superiores ao registo nacional (-5,7% e -2,8%, pela mesma ordem). No Alentejo, a redução no valor das habitações transaccionadas fixou-se nos 2,4%.

Entre Março e Junho deste ano, transaccionaram-se 14 804 habitações na Área Metropolitana de Lisboa e 12 043 na região Norte. Estas duas regiões, no seu conjunto, representaram 63,1% do total de transacções, o que constituiu a mais baixa percentagem observada desde o 4º trimestre de 2016. Para além das duas regiões anteriormente mencionadas, o Algarve com um total de 3 735 vendas, foi a outra região que apresentou uma redução na sua quota relativa regional (-0,3%). Por contrapartida, a região Centro, o Alentejo, a Região Autónoma dos Açores e a Região Autónoma da Madeira registam há três trimestres consecutivos (no caso do Alentejo, há 5 trimestres) aumentos das respectivas quotas relativas regionais.

No mesmo período, a Área Metropolitana de Lisboa concentrou 46,3% do valor total das habitações transaccionadas, tendo-se seguido o Norte com 23,2%. O valor transaccionado nestas duas regiões (aproximadamente 2,8 e 1,4 mil milhões de euros, respectivamente) foram os mais baixos dos últimos cinco trimestres, conduzindo a reduções das respectivas quotas relativas (-1,8% na Área Metropolitana de Lisboa e -0,2% no Norte). Na região Centro, o valor das transacções, 757 milhões de euros, correspondeu ao segundo registo mais elevado da série disponível e a um aumento de 1,3% na quota relativa regional. No período em análise, o Algarve registou o mais elevado valor de transacções, totalizando 714 milhões de euros, enquanto a Região Autónoma dos Açores e a Região Autónoma da Madeira apresentaram vendas de habitações no valor de 70 milhões de euros e 98 milhões de euros, respectivamente.

A Região Autónoma da Madeira, seguida do Centro e da Região Autónoma dos Açores, com taxas de variação de 8,1%, 2,6% e 0,6%, foram as únicas regiões a apresentar um crescimento do número de transacções de habitações no 2º trimestre de 2019, por comparação com o período homólogo de 2018. Neste período, o Algarve, a Área Metropolitana de Lisboa e o Norte registaram reduções superiores a 9,0% no número de transacções, tendo o Alentejo apresentado uma diminuição de 5,4%

 

Ler Mais
Artigos relacionados
Comentários
Loading...

Multipublicações

Marketeer
Domino’s Pizza vai deixar quatro mercados europeus
Automonitor
História: O dia em que o Papamóvel foi salvo