Portugueses foram dos que mais faltaram ao trabalho em 2020 (e a culpa é da pandemia)

Os portugueses foram dos que mais faltaram ao trabalho em 2020 (face aos outros países europeus), devido à pandemia de Covid-19. Segundo os cálculos do ‘Diário de Notícias’ (DN), com base em dados do Eurostat, as ausências ao trabalho em Portugal dispararam 67% em comparação com o ano anterior.

Segundo as mesmas contas, no ano passado registaram-se menos 175 milhões de dias trabalhados no nosso país, o que corresponde a mais 70 milhões de dias de ausência face a 2019. Os motivos para a ausência ao trabalho incluem desde o gozo de dias de férias a baixas por doença e medidas de redução de horário ou suspensão de contrato de trabalho, como o lay-off simplificado.

A análise em questão não menciona os dados para os homens, mas visto que o período de maior ausências coincidiu com o fecho das escolas e na maioria dos casos são as mulheres que mais têm de prestar assistência aos filhos sem aulas presenciais, observa-se que as portuguesas faltaram em 58% dos mais de 175 milhões de dias de trabalho perdidos.

Estes números contrastam com o crescimento menos acentuado de apenas 38% nos dias de trabalho perdidos no total da União Europeia, com os países do bloco a registarem em conjunto 6,6 mil milhões de faltas mais 1,8 mil milhões do que no ano anterior.

Ainda assim, há países como Itália e Espanha, que superam Portugal nesta matéria, com aumentos de 86% e 82% de faltas ao trabalho, números que quase duplicaram, quando comparados com 2019.


Artigos relacionados
Comentários
Loading...