Portugal quer adquirir dois milhões de doses da vacina da gripe. Mais 500 mil do que na época anterior

O secretário de estado da saúde, António Sales, refere na conferência de imprensa diária desta sexta-feira, da Direcção Geral da Saúde (DGS), que o esforço na luta contra a Covid-19 tem mobilizado empresas e instituições, exemplos disso são a abertura de pavilhões para acolher pessoas sem condições e a instalação de postos de colheita para detectar infecções.

Desta forma, estas estruturas temporárias ficam isentas do pagamento das taxas de registos, previstos, até ao final do ano de 2021, informa António Sales.

Já chegaram 44 ventiladores vindos da China, 20 já foram distribuídos no Algarve, os outros serão distribuídos ao longo da semana nas diferentes unidades de saúde.

O Conselho de Ministros autorizou a despesa para aquisição de vacinas para a próxima época gripal, Portugal pretende adquirir dois milhões de doses de vacinas, um aumento de 34%, mais 500 mil doses, relativamente à última época gripal. «Preparam-nos para o pior e esperamos o melhor», afirma António Sales, referindo-se à possibilidade de existir uma eventual segunda vaga

O responsável revela que é natural que no fim de semana haja uma menor procura de testes, mas «a oferta é exactamente a mesma», sublinha dizendo que existe actualmente um total acumulado de 706.114 testes, continuando a ser o sexto país que mais testa.

Quando questionado sobre os imigrantes, António Sales refere que «não há discriminação, são sempre bem-vindos e são cidadãos de plenos direitos e deveres», refere sublinhando que quando chegam a Portugal devem cumprir todas as regras de segurança.

«Temos noção que a consciência cívica e social do nosso povo é a mesma e o regresso dos imigrantes será muito bem-vindo», refere.

Na conferência de imprensa estava também a directora geral da saúde, Graça Freitas, que revela que relativamente à Sonae da Azambuja estão programados testes de diagnóstico que ainda estão em curso e já permitiram identificar 76 casos positivos.

«Algumas pessoas da comunidade e outros contactos também estão a ser rastreadas e acompanhadas e foi feito um reforço dos transportes. Algumas empresas da Azambuja decidiram também realizar testes por precaução, numa delas foram encontrados dois casos positivos e noutra três», revela a responsável, sublinhando que todas as autoridades estão a acompanhar a situação em permanência.

No surto do hospital de Santa Maria o número de casos positivos mantém-se em 11. Todos os doentes de enfermaria já foram testados e «três doentes deram positivos». Para além destes todos os outros «têm estado negativos», foi um surto «circunscrito a uma enfermaria, que está controlado e onde estão todos estáveis», refere Graça Freitas, sublinhando que a enfermaria vai ser desinfectada na segunda-feira, devendo reabrir no dia seguinte.

Nos primeiros meses deste ano a mortalidade em Portugal foi muito baixa, quando comparada aos últimos cinco anos. Em Abril «tivemos um pequeno pico por Covid mas também por todas as causas», refere a responsável dizendo que «neste momento a curva da mortalidade está dentro dos valores esperados para a época».

Em Loures, a responsável confirma sempre que se verifica um caso positivo «é feito um inquérito epidemiológico», saindo a decisão de testar ou isolar essa zona. Graça Freitas afirma que «nesta situação em concreto está tudo tranquilo», segundo informações das autoridades locais.

Relativamente às orientações europeias para as viagens aéreas «são directivas internacionais, não é uma decisão de um país e é ponderado o risco», afirma Graça Freitas, dizendo que na altura do check-in, sempre que há suspeitas de sintomas, as autoridades podem examinar esses casos. «Se é 100% infalível? Não é».

Para além disso pode ser instituído um rastreio à saída do avião para detectar potenciais doentes. Existem ainda protocolos específicos para detectar o aparecimento de sintomas num passageiro e todos os passageiros e tripulantes devem usar máscara, informa Graça Freitas.

A directora geral da saúde revela que nos últimos dias Portugal estabilizou entre «os 200 e 300 novos casos por dia», existem pequenos surtos locais, «há uma transmissão comunitária que já foi mais intensa» em todas as regiões.

A região de Lisboa e Vale do Tejo concentra a maioria dos casos, «que estamos a acompanhar», devido aos surtos da Azambuja que contribuíram com 78 casos. A responsável garante que «todos os dias acompanhamos a situação», sobretudo na região de Lisboa.

Portugal regista actualmente 30.200 casos confirmados de infecção, mais 288 do que no dia anterior e ainda cerca de 1.289 vítimas mortais, segundo o boletim diário da DGS divulgado há instantes.

Ler Mais
pub

Artigos relacionados
Comentários
Loading...