Portugal é o quarto país europeu com maior incorporação renovável, revela APREN

A Associação Portuguesa de Energias Renováveis divulgou esta segunda-feira o Boletim de Eletricidade Renovável relativo a junho de 2022, onde dá conta de que Portugal foi o quarto país com maior incorporação renovável na geração de eletricidade, com uma percentagem de 59,4%.

Na análise europeia, ficou apenas atrás da Noruega, Áustria e Dinamarca, que obtiveram 99,5%, 77,0% e 76,2%, respetivamente.

 

No entanto, face a maio, Portugal diminuiu a incorporação renovável em 9,0%, ficando em quinto lugar nos países com maior incorporação renovável na Europa. “Na presente análise foram apenas considerados os principais mercados europeus, para termos um panorama representativo de comparação”, explica a APREN.

Relativamente ao fecho de mercado em Portugal, entre o dia 1 de janeiro e 30 de junho, a análise verificou que a tecnologia de fecho do mercado que registou maior número de horas foi a hídrica com 1.600 horas não consecutivas, seguida das renováveis, cogeração e resíduos com 1.124 horas e
da geração térmica ciclo combinado com 928 horas.

 

 

No que toca ao mercado de eletricidade em Portugal, no mês de junho, o preço médio horário registado no MIBEL em Portugal (206,2 €/MWh3) “representa um aumento superior ao quádruplo face ao período homólogo do ano passado”. No entanto, no mesmo período, foram registadas 57 horas não consecutivas em que a geração renovável foi suficiente para suprir o consumo de eletricidade de Portugal continental, com um preço horário médio no MIBEL de 151,5 €/MWh.

A associação salienta ainda a redução do preço da eletricidade em junho que aconteceu devido à limitação do preço do gás natural.

Ler Mais



loading...

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.