pub

Por um futuro mais limpo

Com mais de 70% de capacidade instalada renovável e mais de 65% de produção de energia renovável, a edp posiciona- -se como uma das empresas líderes na promoção da descarbonização

Os números são astronómicos, mas espelham bem o compromisso do grupo EDP com a descarbonização e a eficiência energética. Até 2022, a energética portuguesa pretende investir 12 mil milhões de euros na geração de energia renovável e em redes. A fatia de leão deste investimento (cerca de 75%) será destinada à aposta em activos que produzam energias limpas, como os parques eólicos ou solares, estando previstos diversos projectos na América do Norte, União Europeia e Brasil. «A EDP acredita que é urgente promover a descarbonização da economia de forma a garantir a sustentabilidade do planeta. A electrificação apresenta uma oportunidade de aumentar a eficiência energética dos consumos, requerendo, no entanto, que a produção de electricidade seja mais limpa e acessível», conforme afirma fonte oficial da EDP. Um esforço que, a par de todo este investimento, tem exigido uma forte aposta na mobilidade eléctrica e na consciencialização de todos os clientes e stakeholders do grupo.

A EDP projecta investir 12 mil milhões de euros e um lucro líquido de mil milhões de euros em 2022. Qual que será o investimento feito nas renováveis? E em que é que consistirá?

A EDP apresentou em Londres o plano estratégico para os próximos quatro anos, onde ficou claro o perfil distintivo da EDP como empresa focada em geração limpa e nos seus clientes e, portanto, bem posicionada para liderar a transição energética. Os resultados da EDP dependem essencialmente de geração renovável e redes (cerca de 90% do seu EBITDA), o que é algo único. Neste contexto, a EDP quer investir 12 mil milhões de euros até 2022 nestas áreas, um valor 60% superior ao do plano estratégico anterior. A maior fatia deste investimento, cerca de 75%, será destinada à aposta em activos que produzam energias limpas, como os parques eólicos ou solares. Adicionalmente, a EDP vai complementar esse crescimento comrotação de activos e optimização do seu portefólio, reforçando o seu alinhamento com a estratégia pretendida e criando valor. Por regiões, a aposta para os próximos quatro anos será feita na América do Norte (EUA, Canadá e México irão representar cerca de 40%), na União Europeia (cerca de 35%) e no Brasil (cerca de 25%). Por fim, a EDP pretende continuar a aposta que o grupo tem feito na gestão eficiente dos seus activos, onde o reforço da digitalização terá um papel relevante, e espera alcançar em 2022 um lucro superior a mil milhões de euros.

A EDP prepara-se para chegar a 2020 com mais de 75% da capacidade instalada renovável, repartida entre hídrica, eólica e solar. O que será feito em concreto até lá?

A EDP tem actualmente mais de 70% de capacidade instalada e mais de 65% de produção renovável. Este valor compara com 20% de geração renovável em 2005. A EDP pretende continuar a aprofundar esta tendência, que resulta de um caminho natural que o grupo tem feito e da aposta na descarbonização e na sustentabilidade, que antecipou e tem liderado.De forma a atingir o objectivo de aposta na produção de energias renováveis, o grupo irá continuar a desenvolver projectos de energia hídrica, eólica e solar nas várias geografias onde está presente. Em particular, está empenhada em promover o uso de renováveis junto dos seus clientes, como demonstrado pelo projecto pioneiro anunciado recentemente, que inclui a instalação de um parque solar de 3,8 MW com armazenamento de energia.

Desde 2005 que a EDP tem vindo a desenvolver um plano integrado e abrangente de sustentabilidade e eficiência energética. Quais os principais resultados?

A EDP estabeleceu em 2015, em vésperas da COP 21 (Conferênciadas Partes, Paris), um conjunto de objectivos relacionados com a sustentabilidade do planeta, incluindo o crescimento em energias renováveis, a redução de emissões de gases com efeito de estufa, o desenvolvimento de redes inteligentes, a aposta na inovação e a melhoria da eficiência energética, tanto da EDP, como nos clientes. Dentro destes objectivos, a EDP comprometeu-se a fornecer produtos e serviços que proporcionem uma poupança de energia superior a 1 TWh em 2020 (face aos valores de 2015), o equivalente ao consumo anual médio de 400 mil famílias. No final de 2018, este objectivo já tinha sido praticamente alcançado, o que permitiu evitar a emissão de cerca de 400 mil toneladas de CO2.É importante somar também a poupança obtida através das medidas realizadas no âmbito do Plano de Promoção da Eficiência no Consumo de Energia Elétrica (PPEC). A EDP tem sido um dos principais dinamizadores do PPEC e estima-se que as mais de 60 medidas levadas a cabo pela eléctrica desde o início do programa, em 2007, tenham conduzido a poupanças acumuladas de 3 TWh.

A EDP promove activamente medidas, programas e projectos de eficiência e poupança enérgica. Que projectos se destacam?

Destacamos o programa Save2Compete (S2C), criado pela EDP em 2012 com o objectivo de promover a eficiência energética, a competitividade e a inovação nas grandes empresas do sector industrial e, mais recentemente, também das PME. Até ao final de 2018, os clientes que aderiram ao S2C já tinham poupado 270 GWh de energia eléctrica, a que corresponde uma redução nas suas facturas de cerca de 27 milhões de euros. No que respeita aos clientes do sector residencial, a EDP tem vindo a diversificar a sua oferta de produtos e serviços, com soluções na área da iluminação eficiente, energia solar, aquecimento de água, mobilidade eléctrica e certificação energética, entre outros. Internamente, destacamos o objectivo de electrificar 100% da frota de veículos ligeiros até 2030, com uma estimativa de redução das emissões de CO2 de 70%.

O sector da energia está a sofrer profundas transformações. O futuro passa por que movimentos e (ou) iniciativas?

O sector da energia está a sofrer uma transição para um futuro cada vez mais electrificado, descentralizado e com maior digitalização. Actualmente, é já reconhecido que a electrificação dos consumos apresenta benefícios ao nível do aumento da eficiência energética, sendo também a forma mais custo-eficaz de aumentar a utilização de energias renováveis. Com efeito, a redução significativa do custo das tecnologias renováveis para produção de electricidade já as torna mais económicas que as tecnologias baseadas em combustíveis fósseis, sendo esperado um grande crescimento no seu uso nos próximos anos, tanto ao nível da geração centralizada como descentralizada.

A integração de consumos e geração de electricidade cada vez com maior variabilidade irá beneficiar da crescente digitalização, através da penetração de soluções tecnológicas que irão permitir realizar uma gestão do sistema energético mais eficiente e económica.

Há uma outra aposta, mais recente, que pode ser decisiva no combate às alterações climáticas: a mobilidade eléctrica. Qual o caminho percorrido nesta área?

O aumento da eficiência energética em Portugal requer uma transição energética com aposta clara na electrificação dos diferentes sectores de actividade, tendo em conta a alta eficiência das tecnologias eléctricas. Nos transportes, a mobilidade eléctrica permite reduzir a dependência energética do País e os impactos ambientais e na saúde pública, sendo fundamental fomentar a adopção de veículos eléctricos e desenvolver a rede de carregamento.

A EDP tem olhado para este desafio como uma oportunidade de descarbonizar a economia, criando soluções de carregamento para o espaço privado, residencial e empresarial, desenvolvendo a rede de carregamento público e fomentando a procura por veículos eléctricos com tarifários e soluções competitivas para os seus clientes. São exemplo disso as soluções para carregamentos em casa, nomeadamente a Wallbox da EDP, o tarifário verde e o contínuo alargamento e investimento na rede pública de carregamentos, evidenciado pelos nove postos de carregamento rápido instalados em Portugal.

Adicionalmente, a EDP procura estabelecer parcerias estratégicas que contribuam para a electrificação de frotas empresariais e para o aumento da capilaridade da rede de carregamento da EDP. A EDP conta já com mais de seis mil utilizadores do tarifário da empresa e lançou recentemente uma campanha de descontos para quem quiser carregar o seu veículo em casa, à noite, obtendo um desconto de 20% na factura da electricidade. Os números mais recentes não deixam grande margem paradúvida de que este é, de facto, o caminho a seguir: as vendas de carros eléctricos triplicaram nos últimos meses e os carregamentos na rede de postos em Portugal da EDP já atingiram os 600 MW de energia consumida.

Ler Mais
pub

Comentários
Loading...