Pedro Gonzalez, VMLY&R Branding: XVII Barómetro Executive Digest

Longe de imaginarmos que teríamos um novo lockdown ainda mais exigente que o primeiro, em Setembro de 2020 houve um boost considerável de investimento em comunicação. Na realidade, as marcas nunca deixaram de comunicar. A esperança de que o pior tinha passado e a necessidade de recuperar o tempo e o negócio perdido levou o mercado a agir. Foi, no entanto, “sol de pouca dura”. E à medida que nos aproximamos de Setembro de 2021, com a vacinação a ganhar velocidade, muitos vêm esse momento como o do início da tão desejada recuperação. Mas as incógnitas ainda são muitas. Desde as diferentes estirpes que continuam a surgir e para as quais não se sabe qual a eficácia das vacinas que estão a ser administradas, até ao facto de que quem está vacinado pode ainda assim contaminar outros. Reflexo destas incertezas são as respostas deste painel às perguntas colocadas: resiliência é a palavra que melhor descreve o que esperamos de 2021, seguida por incerteza. Por outro lado, “investimento e inovação”, são eleitas de forma destacada como sendo a área de intervenção prioritária para utilização dos fundos europeus da famosa “bazuca”. Prossigamos, pois, mas com cautela e de forma planeada. Demasiado entusiasmo pode revelar-se fatal para um tecido empresarial já tão fragilizado.

Testemunho publicado na edição de Abril (nº. 181) da Executive Digest, no âmbito da XVII edição do seu Barómetro.



Artigos relacionados
Comentários
Loading...