Pandemia já ultrapassou os 5,5 milhões de infectados e, afinal, OMS admite «segundo pico» em países onde a Covid-19 está a diminuir

A Organização Mundial da Saúde (OMS) alertou para um «segundo pico imediato» do novo coronavírus em países onde a taxa de infecção por Covid-19 está a diminuir, caso sejam levantadas demasiado cedo as medidas de contenção.

Mike Ryan, director do programa de emergência da OMS, deixou o recado: Não podemos partir do princípio de que só porque a doença está a diminuir vai continuar a descer». «Temos alguns meses para nos prepararmos para uma segunda vaga», sublinhou, deixando claro que «podemos ter um segundo pico» da doença.

O aviso chega depois de, ontem, Maria Neira, directora do departamento de Saúde Pública da OMS, ter dito que é «cada vez mais» improvável uma segunda grande vaga de Covid-19.

A nível global, a pandemia do novo coronavírus já provocou pelo menos 346.700 vítimas mortais e infectou mais de 5,5 milhões de pessoas, segundo uma contagem independente da Universidade Johns Hopkins.

Portugal contabiliza, neste momento, 1.342 óbitos associados à Covid-19 e 31.007 casos confirmados de infecção, segundo o boletim epidemiológico divulgado pela Direção-Geral da Saúde.

O país entrou no dia 3 de Maio em situação de calamidade devido à pandemia de Covid-19, depois de três períodos consecutivos em estado de emergência desde 19 de Março. Esta nova fase prevê o confinamento obrigatório para pessoas doentes e em vigilância activa, o dever geral de recolhimento domiciliário e o uso obrigatório de máscaras ou viseiras em transportes públicos, serviços de atendimento ao público, escolas e estabelecimentos comerciais.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detectado no final de Dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Ler Mais
pub

Comentários
Loading...