Os países com mais mulheres nos boards

Há um movimento global pela diversidade nas organizações. Mas, afinal, quais são os países que o lideram e os que ainda estão na cauda?

Por Cynthia Soledad e Karoline Vinsrygg (co-líderes do Conselho de Diversidade), Ashley Summerfield (líder de Práticas de Board) e Jennifer Reingold (global head of Conteúdos) na Egon Zehnder

Na Egon Zehnder, analisámos a diversidade de género nas administrações de todo o mundo, nos últimos 14 anos. Com o lançamento do relatório de 2018 “Global Board Diversity Tracker: Who’s Really on Board?” assinalamos o nosso esforço mais abrangente de sempre, analisando dados da BoardEx de 1610 empresas cotadas em Bolsa com valor de mercado acima dos sete mil milhões de euros em 44 países, em Maio de 2018. (Em países com menos grandes empresas, usamos as seis maiores por valor de mercado.)

Ao todo, existem boas notícias: desde 2004, quando começámos a avaliar a diversidade na administração, a presença geral de mulheres e directores internacionais cresceu significativamente. Em 2018, 84,9% das administrações de grandes empresas em 44 países incluíam pelo menos uma mulher entre os seus directores. Ao todo, 20,4% de todos os directores nos países que estudámos são mulheres – há seis anos a percentagem era de 13,6%. Na Europa Ocidental, os cargos detidos por mulheres nas administrações subiram de 15,6% para 29% no mesmo período. Na diversidade internacional, 72% das empresas inquiridas tinham pelo menos um membro estrangeiro na administração.

Leia este artigo na íntegra na edição de Maio de 2019 da Executive Digest.

Artigos relacionados
Comentários
Loading...

Multipublicações

Marketeer
Guerra do streaming: consumidores dão oportunidade aos novos players
Automonitor
As ideias (brilhantes) da Skoda