Opinião: CATÓLICA LISBON faz a ponte entre os alunos e as incubadoras através do Forward!

Por: Céline Abecassis-Moedas – Founder e Diretora Académica do CTIE &  Pierre Gein – Diretor Executivo do CTIE

A CATÓLICA LISBON detém várias iniciativas relacionadas com a temática do  empreendedorismo: cadeiras de licenciatura e mestrado, o PAEGI, um programa executivo, uma parceria com a Startup Lisboa e com o BET (Bringing Entrepreneurs Together), entre outras. Contudo, ao longo dos anos temos vindo a constatar a dificuldade dos nossos alunos em integrar programas de aceleração, como a Demium, a Fábrica de Startups, a Startup Lisboa ou a Techstars. Perante este obstáculo, criámos o Forward, que pretende ser a ponte entre os alunos e as incubadoras.

Todos os anos, temos dezenas de alunos interessados em criar os seus negócios. Nesta fase inicial o entusiasmo é grande, mas o conhecimento do mundo empresarial ainda está por descobrir, algo que é adquirido com a ajuda do business model canvas, com as primeiras entrevistas e contatos com potencias clientes. Para os mais perseverantes, o caminho a seguir, óbvio e seguro, é a candidatura aos programas de aceleração. No entanto, estes empreendedores ainda têm pouco know-how e habilidades pessoais, rede de apoio e experiência na gestão de uma empresa, para serem selecionados neste processo competitivo.

É com esta realidade, que o CTIE da CATÓLICA LISBON decidiu criar o Forward (https://forward-startup.com), um programa de pré-aceleração que preenche o “vale da morte” entre a universidade e as incubadoras, permitindo assim uma transição suave entre as diferentes etapas do processo de go to market. A característica mais importante, e diferenciadora, deste programa é que os participantes podem testar as suas ideias de negócio e ganhar experiência sem ter ainda uma empresa. Se as incubadoras apoiam novos negócios, este programa de pré-aceleração apoia os empreendedores sendo o seu papel de suporte no desenvolvimento inicial da ideia de negócio. Assim, o programa Forward pretende realizar testes de mercado sólidos aos produtos ou serviços, antes de progredirem para o seu desenvolvimento, beneficiar da ajuda de mentores experientes para validarem as ideias de negócio e criar um Minimum Viable Product (MVP).

Desta forma, no fim do programa os empreendedores terão informação suficiente para decidir qual é o caminho mais adequado a seguir: ou encerram o processo, dado a ideia não ter mercado ou não poder ser desenvolvida, ou estendem o período de testes para modificar o produto ou serviço, devido aos resultados das entrevistas e testes (chamado “pivot”), ou candidatam-se a um programa de aceleração para iniciar diretamente o negócio.

Acreditamos que o programa Forward irá estimular ainda mais a cultura empreendedora nos alunos e tornar-se-á num espaço de colaboração privilegiado entre alunos, docentes, empresários e o ecossistema do empreendedorismo com a participação do BET, Mangoup e a Startup Lisboa.

Céline Abecassis-Moedas – Founder e Diretora Académica do CTIE

Pierre Gein – Diretor Executivo do CTIE

CATÓLICA LISBON – Center for Technological Innovation and Entrepreneurship (CTIE)

Ler Mais
Comentários
Loading...