OE2022: Marcelo apela a “bom senso” para aprovação do Orçamento de Estado

Marcelo Rebelo de Sousa pede “bom senso” na análise da proposta do Orçamento do Estado para 2022 (OE2022) e diz não ser viável o seu chumbo, visto que arrastaria o processo até ao próximo ano.

Em declarações à comunicação social nesta tarde de quarta-feira, durante a inauguração da nova casa da Ajuda de berço em Lisboa, o Presidente da República explicou que “se for chumbado o orçamento, a hipótese imediata é o Governo continuar em funções com o orçamento deste ano dividido por 12, mas sem os fundos europeus previstos para o ano que vem”.

Marcelo explicou que se o Governo não aceitar, e não havendo um Governo alternativo “fácil de nascer no Parlamento”, tem que haver eleições, sendo que o mais rápido possível é serem realizadas 60 dias depois, ou seja, passariam para janeiro ou fevereiro por causa do natal, e apenas seria possível um novo orçamento em abril.

No entanto, o Presidente da República escusou-se a comentar o conteúdo do OE2022. “Não vou fazer comentários sobre o conteúdo do Orçamento de Estado porque, como todos sabemos, ele está na generalidade”, disse.

“Acredito convictamente que o Orçamento vai passar”, concluiu.



Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.