OE2022: Desdobramento do IRS favorece casados ou solteiros? Eis as respostas

A consultora EY elaborou um estudo para a Executive Digest onde simula várias situações fiscais, tendo em conta a proposta do Governo para o Orçamento de Estado de 2022 (OE2022).

A Executive Digest decidiu comparar os valores, mediante o estado civil, caso a declaração obedeça ao regime de tributação conjunta ou separada e sempre na ótica de um só titular.

Um solteiro, sem filhos, com um salário de mil euros, que em 2021 pagou em IRS 1.671,56 euros, em 2022, passa a pagar 1.671,22 euros, um ganho líquido de 0,34 euros, com ou sem filhos.

Quando o salário duplica para os dois mil euros, a poupança é manifestamente maior, já que ronda os 49,52 euros mensais, com ou sem filhos.

Subir esta escalada implica o aumento de ganhos, assim segundo a EY, quem ganha cinco mil euros por mês, passa a poupar 201,79 euros, com ou sem filhos.

Por sua vez, um casal sem filhos, com tributação conjunta, com rendimento mensal de mil euros, com ou sem filhos não existe variação. Quando passamos, nesta faixa de rendimento, para tributação separada, com ou sem filhos a poupança é de 0,34 euros.

Quando duplicamos o valor, como fizemos com o sujeito passivo solteiro, para os dois mil euros mensais, em tributação conjunta a comparação é quase nula já que o ganho é superior por apenas uns cêntimos: 49,58 euros, montante que se mantém com ou sem filhos, passando para os 49,52 euros com tributação separada, com ou sem filhos.

Ao chegar ao patamar dos cinco mil euros é que se assiste a uma mudança considerável, já que a poupança passa para 98,86 euros, em regime de tributação conjunta com ou sem filhos. O valor dispara para 201,86 euros, no caso de tributação separada, com ou sem filhos.

Ler Mais


Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.