“O sucesso não é definitivo, nem o fracasso…

Por Ricardo Florêncio

E apesar de ser uma citação com mais de 70 anos, está sempre actual. E é mesmo como devemos encarar a nossa vida hoje. Bem sabemos que quase todos tinham planeado, e previsto, o ano 2020 como o melhor de sempre. E fizeram-se muitos investimentos com esse objectivo, e estavam efectivamente reunidas as condições necessárias e suficientes para que tal acontecesse. Infelizmente, as contingências levaram para um outro caminho. Mas a resiliência e a capacidade de nos reinventarmos faz parte do nosso ADN e estou seguro que iremos conseguir ultrapassar estas adversidades. Sem lirismo, nem todos, mas muitos certamente. Mas não nos enganemos, e a citação refere isso mesmo. Hoje, é mesmo preciso ter muita coragem para ser um empresário e lutar pelo sucesso das empresas. Não só o estado da Economia está como se conhece, como também os sinais que são dados para o futuro não são propriamente os mais animadores. E aqui, o Estado, e o Orçamento Geral do Estado 2021 poderiam, e deveriam, ter um papel importante e dar esses sinais. Para além da saúde, e da componente social, dever-se-ia ter em especial atenção o tecido empresarial, pois são as empresas a base do relançamento da economia. Sem empresas, não há economia, não há produção de riqueza, não há emprego. E não podemos ter um País tudo assente no Estado, pois, pura e simplesmente, e sem rodeios, não é sustentável. Tenho esperança que todos percebam isso!

Editorial publicado na revista Executive Digest nº 175 de Outubro de 2020

pub
Comentários
Loading...