O lucro? Não só, mas também!!!!!!!

Por Ricardo Florêncio

Mas afinal para que tipo de sociedade estamos a caminhar, quando as empresas e a iniciativa privada são tão vezes criticadas e quase consideradas non-gratas? E que clima é este que está a ser criado, quando é quase considerado obsceno para as empresas apresentarem lucros? Algo está errado!

Conforme foi referido e amplamente debatido na última Conferência da Executive Digest, e que é o tema de capa desta edição, é verdade que a procura de resultados, de lucros, já não é a única preocupação das empresas. Hoje, o propósito, os valores e objectivos das empresas, tem de ir muito mais para além desse factor económico/financeiro. A sigla, ESG, Environmental, Social and Corporate Governance, passou a ser uma carta de princípios de muitas empresas, e muito rapidamente será obrigatório que seja de todas. Deste modo, e para além da busca e procura dos critérios de rentabilidade e produtividade, a palavra “Responsabilidade” passa a ter uma importância acrescida e vital no mundo empresarial. Responsabilidade social, Responsabilidade ambiental, corporativa, empresarial, etc. Só dando respostas cabais, efectivas, reais a estas exigências, é que as empresas vão conseguir vingar. No futuro e já, agora! Passou a ser um critério de escolha, de selecção, uma exigência da sociedade, dos consumidores, da comunidade, dos mercados, dos investidores.

Mas, temos de ter a plena consciência de que sem rentabilidade, sem resultados, não há negócios, nem empresas.

Editorial publicado na revista Executive Digest nº 183 de Junho de 2021


Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.