O ABC dos líderes: Tácticas, rotinas e hábitos dos multimilionários

As tácticas, rotinas e hábitos de multimilionários, ícones e artistas mundiais. Aqui estão as ferramentas de que necessita para se tornar um líder.

Texto de TitiAna Amorim Barroso

Ao longo dos últimos dois anos, Tim Ferriss, autor do bestseller mundial “4 horas por semana”, entrevistou mais de 200 personalidades mundiais, desde Jamie Foxx, Edward Norton, Alain de Botton, Malcolm Gladwell até prodígios do xadrez, realizadores, generais de quatro estrelas e atletas de alta competição. A partir destas lições de vida criou um manual de ferramentas dos líderes.

Tudo o que apresenta foi avaliado, explorado e aplicado pelo autor na sua própria vida. Tim Ferriss usou dezenas dessas tácticas e filosofias em negociações e ambientes de alto risco, e em grandes negócios. Renderam-lhe milhões de dólares e, segundo diz, pouparam-lhe anos de esforços inúteis e frustrações. Algumas são óbvias à primeira vista, enquanto outras são subtis e provocarão exclamações do tipo “Santo Deus! Agora percebo!”, ao fim de algumas semanas, enquanto sonha acordado no chuveiro ou está quase a adormecer.

Encontrará citações e testemunhos poderosos, mas este livro tenciona ser muito mais do que uma compilação dos mesmos. Quer ser uma verdadeira caixa de ferramentas para mudar a vida de quem o ler!

CAIXA DE FERRAMENTAS

O termo “ferramentas” inclui rotinas, livros, diálogo interior comum, perguntas preferidas e muito mais. Bem-estar físico, dinheiro e sabedoria – aqui estão as ferramentas de que necessita. Resolvemos desvendar já. São mais de 500 páginas composta por três secções: saudável, rico e sábio. Claro que há uma enorme sobreposição entre as secções já que as peças são interdependentes. Na verdade, poderia pensar nas três como um tripé sobre o qual a vida se equilibra. Precisamos das três para ter sucesso ou felicidade sustentável. “Rico”, no contexto deste livro, também significa muito mais do que dinheiro. Estende-se à abundância em tempo, relações e muito mais.

O autor começa por identificar hábitos comuns (veja caixa ao lado). E aconselha a que se procure a ovelha negra que se adequa às nossas idiossincrasias. Para estarmos atentos a caminhos fora do comum, como é o caso da viagem de Shay Carl de operário a estrela do Youtube e co-fundador de uma startup vendida por quase mil milhões de dólares. Como poderia dizer um engenheiro de software: «Isso não é um bug. É uma característica!». Leve emprestado à vontade, combine de forma única e crie a sua própria marca.

O que espera transmitir com o livro? Primeiro, o sucesso, seja lá como for que o define, é possível se reunir as crenças e hábitos correctos testados em campo. Já alguém definiu a sua versão de sucesso anteriormente e muitas pessoas fizeram algo semelhante vezes sem conta. Ainda existem fórmulas.

Olhe para os impérios de outros tipos, olhe para as maiores decisões da vida de Robert Moses (leia The Power Broker) ou, simplesmente, descubra alguém que conseguiu realizar grandes feitos que, na altura, pareciam impossíveis (como Walt Disney). Há um padrão partilhado que pode pedir emprestado.

Segundo, os super-heróis que tem em mente (ídolos, ícones, titãs, bilionários) são quase todos imperfeições vivas que maximizaram uma ou duas forças. Os humanos são criaturas imperfeitas. Não se tem sucesso quando não se tem fraquezas, e tem-se quando se descobrem forças únicas e nos concentramos em desenvolver hábitos com base nas mesmas. Para deixar isto claro, o autor incluiu deliberadamente duas secções que o farão pensar: “Uau, o Tim Ferriss é uma confusão. Como raio é que ele consegue fazer alguma coisa?” Todos travamos uma batalha da qual não sabemos nada. Os heróis deste livro não são diferentes. Toda a gente luta. Tome isso como consolo.

Depois de mais de 100 entrevistas sobre rotinas matinais, o autor experimentou umas e deixa as cinco que funcionaram consigo. #1 Faça a sua cama; #2 Medite; #3 Repita um exercício entre cinco a dez vezes; #4 Prepare o chá de titânio (o nome é uma brincadeira); #5 Páginas matinais ou diário de cinco minutos.

Se quer ser próspero – em dinheiro, tempo, relações ou outra coisa – pode evitar acidentes e dores de cabeça com a ajuda de “limpa-pára-brisas espirituais”. E isto significa ter um diário matinal para entender as coisas e enjaular a mente no papel para poder continuar com o dia.

Outra das curiosidades que os entrevistados nos deixam é a banda sonora da excelência (veja caixa). Mais de 80% praticam todas as manhãs uma qualquer forma de meditação. Mas e os restantes 20% ? Quase todos têm actividades semelhantes. Um dos padrões é escutar repetidamente uma única faixa ou álbum, que funciona como um mantra exterior para ajudar à concentração e foco no momento presente.

Partilhamos convosco as 16 perguntas que mudaram a vida do autor de forma dramática, mas o livro explica em detalhe. E se fizesse o oposto por 48 horas? Em que gasto quantias disparatas? O que faria se tivesse 10 milhões de dólares?/ Qual é o meu real salário mensal desejado? Se pudesse trabalhar só duas horas por semana no meu negócio, o que faria? E se os deixar decidir até 100 dólares? 500? 1000 dólares? Qual é o canal menos concorrido? E se não pudesse promover o meu produto de forma directa? E se criasse o meu MBA do mundo real? Tenho de o recuperar da mesma forma que o perdi? E se pudesse usar a subtracção para resolver problemas? O que preciso, porventura, de pôr em ordem para conseguir passar quatro a oito semanas longe da civilização, sem telefone nem email? Estou a caçar antílopes ou ratos do campo? Será que está tudo bem e completo assim? Como seria isto se fosse fácil? Como pode o dinheiro resolver este problema?/ Como posso “desperdiçar dinheiro na melhoria da minha qualidade de vida? Sem pressa, sem pausa. E pronto, Tim Ferriss aconselha a encontrarmos e criamos as nossas perguntas. E a procurarmos soluções. Se a pergunta não for simples, não é porventura a certa.

Este livro guarda reais conselhos, histórias e lições de pessoas inspiradoras.

Este artigo foi publicado na edição de Dezembro de 2018 da Executive Digest.

Hábitos em comum

Aqui ficam alguns padrões, uns mais estranhos que outros

. Mais de 80% pratica alguma forma de meditação diária;

. Um surpreendente número de homens (não mulheres) com mais de 45 anos nunca toma pequeno-almoço;

. Muitos usam o Chilipad para relaxar na hora de dormir;

. Muitos elogios aos livros “Sapiens”, “Poor Charlie’s Almanack”, “Influence” e “Man’s Search for Meaning”, entre outros;

. Hábito de ouvir canções em repeat para se concentrarem;

. Quase todos realizaram alguma forma de trabalho “especializado” (concluíram projectos durante o seu tempo livre e a seu custo, submetendo-os a possíveis compradores);

. A crença de que o fracasso não dura para sempre ou variantes;

. Quase todos os convidados foram capazes de pegar em “fraquezas” óbvias e transformá-las em enormes vantagens verdadeiramente competitivas.

Banda sonora de excelência

O que é que os maiores líderes do mundo ouvem? Fique a saber

“O Último dos Moicanos”

“Everyday”, de A$AP Rocky

“One Dance”, de Drake

“Tonight Tonight”, dos Smashing Pumpkins

“Keep Your Eyes Open”, dos Needtobreathe

“Live at the Rojan in Shanghai”, de Paul Oakenfold

“Essential Mix”, de Pete Tong

“Time”, de Hans Zimmer

“Harlme Shaker”, de Baauer

“Lift Off”, de Jay Z, Kanye West e Beyoncé

“Circulation”, dos Beats Antique

“Black Out the Sun”, dos Sevendust

“Gran Hotel Buenos Aires”, de Federico Aubele

“One-X”, dos Three Days Grace

“Luciano Essential Mix”, com DeadMau5

“Cold Day Memory”, dos Sevendust

“Just Jammin”, de Gramatik

“Dear Agony”, dos Breaking Benjamin

“I Choose Noise”, dos Hybrid

“Over the Under”, dos Down

Ler Mais
Artigos relacionados
Comentários
Loading...

Multipublicações

Marketeer
178 restaurantes juntam-se à Rota de Tapas Estrella Damm
Automonitor
As melhores imagens da 2ª Conferência AUTOMONITOR