Novo crédito à habitação soma 1.519 milhões de euros em maio, com taxa de juro mais alta desde julho de 2019

O novo crédito à habitação somou 1.519 milhões de euros em maio, tendo a taxa de juro média destes novos empréstimos subido para 1,26%, o valor mais elevado desde julho de 2019, informou hoje o BdP.

“A taxa de juro média dos novos empréstimos à habitação subiu de 1,07% em abril para 1,26%. Este valor é o mais elevado desde julho de 2019”, refere o Banco de Portugal (BdP), recordando que, “em dezembro de 2021, a taxa de juro média foi de 0,83%”.

De acordo com o banco central, em Portugal, entre dezembro de 2021 e maio de 2022, 65% do montante de novos empréstimos à habitação foi concedido com prazo de fixação inicial da taxa de juro até um ano.

“Em média, a taxa de juro de novos empréstimos com este prazo de fixação foi de 0,74%, taxa inferior às dos restantes prazos”, precisa, acrescentando que “o elevado peso deste segmento tem contribuído para a reduzida taxa de juro dos novos empréstimos à habitação em Portugal”.

Em maio, os bancos concederam 2.297 milhões de euros de novos empréstimos aos particulares, mais 381 milhões do que em abril, tendo o montante concedido aumentado “em todas as finalidades”.

Assim, o crédito para habitação subiu 195 milhões de euros face a abril e 205 milhões em termos homólogos, para 1.519 milhões de euros.

Já o crédito ao consumo aumentou para 551 milhões de euros (face a 417 milhões em abril e 410 milhões em maio de 2021) e o crédito para outros fins cresceu para 227 milhões de euros (contra 176 milhões em abril e 170 milhões em maio de 2021).

No mês em análise, a taxa de juro média dos novos empréstimos ao consumo desceu para 7,67% (7,78% no mês de abril).

Já às empresas, em maio, os bancos fizeram novos empréstimos no valor de 2.130 milhões de euros, o que representa um aumento de 22% face a abril. Em maio de 2021, os novos empréstimos às empresas tinham somado 1.689 milhões de euros.

De acordo com o banco central, “este aumento verificou-se tanto nos empréstimos até um milhão de euros como nos empréstimos acima de um milhão de euros, que totalizaram, respetivamente, 1.200 e 930 milhões de euros”.

A taxa de juro média dos novos empréstimos a empresas aumentou de 1,85% em abril para 2,05% em maio, subindo para 2,14% nos empréstimos até um milhão de euros e para 1,92% nos empréstimos de montante superior.

Quanto a depósitos, em maio, o montante de novos depósitos de particulares foi de 3.955 milhões de euros, acima dos 3.572 milhões de euros de abril.

A taxa de juro média manteve-se no mínimo histórico de 0,04% pelo sétimo mês consecutivo.

“Do montante de novos depósitos constituídos em maio, 88% foi aplicado em depósitos a prazo até um ano, também remunerados à taxa de juro média de 0,04%”, refere o BdP.

Já os novos depósitos de empresas totalizaram 1.002 milhões de euros, dos quais 967 milhões de euros foram aplicados em depósitos a prazo até um ano, remunerados a uma taxa de juro média de 0,05%.

Na área do euro, a taxa de juro média dos novos depósitos de empresas até um ano permanece negativa desde agosto de 2019.

Ler Mais


Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.