Três detidos pela PJ por acederem ilegitimamente a plataformas do Ministério da Saúde e Segurança Social Direta

A Polícia Judiciária (PJ) deteve três suspeitos envolvidos no acesso ilegítimo a plataformas dos Serviços Partilhados do Ministério da Saúde (SPMS), numa operação de âmbito nacional destinada a desmantelar um grupo organizado dedicado ao cibercrime. No decorrer da operação, foram realizadas 21 buscas domiciliárias e apreendido material informático.

De acordo com o comunicado da PJ, os crimes em causa incluem acesso ilegítimo agravado, falsidade informática agravada, acesso indevido agravado, dano relativo a programas ou outros dados informáticos, falsificação de documento e burla qualificada. As práticas criminosas do grupo eram diversas e incluíam acessos não autorizados a plataformas online de uso exclusivo por profissionais de saúde, disponibilizadas pelos SPMS, bem como ao canal da Segurança Social Direta, utilizando credenciais de funcionários.

A PJ revelou que os acessos às várias plataformas foram obtidos através de credenciais de médicos, roubadas por meio de Infostealers – malware projetado para extrair passwords e informações sensíveis de computadores infetados. As credenciais roubadas eram posteriormente vendidas em sites da Deepweb, onde são disponibilizados dados resultantes de fugas de informação e sistemas comprometidos.

Além do acesso ilegítimo, o grupo também se dedicava à disseminação de campanhas de SPAM, sob o pretexto de dívidas a empresas como EDP Comercial, CTT, Endesa, Galp, entre outras. Estas campanhas visavam enganar os destinatários e obter dados pessoais e financeiros de forma fraudulenta.

A investigação, conduzida pelo Departamento de Investigação Criminal da Polícia Judiciária, visa agora aprofundar a origem e extensão das atividades ilícitas do grupo, bem como identificar e deter outros possíveis envolvidos na rede criminosa. A PJ continua a recolher provas e a analisar o material informático apreendido para consolidar as acusações e garantir a responsabilização dos suspeitos.