‘Santo Graal’ da energia ilimitada, sustentável e barata? Empresa americana pode ser pioneira

A fusão nuclear a laser é um dos métodos mais promissores para ‘conquistar’, de uma vez por todas, uma fonte de energia que promete revolucionar o mundo. Esta é, pelo menos, a convicção da empresa americana ‘Xcimer Energy’, que garante que o seu sistema laser de alta potência é a tecnologia mais viável para conseguir a produção de eletricidade através da fusão nuclear.

No fundo, o ‘Santo Graal’ da energia ilimitada, sustentável e barata.

A convicção estendeu-se ao Governo americano, que concedeu, através do Departamento de Energia, mais de 100 milhões de dólares para desenvolver um protótipo de uma central elétrica de fusão comercial.

O uso de lasers de alta potência para alcançar a reação de fusão nuclear é um dos métodos mais promissores para tornar realidade esta tão esperada fonte de energia. Há quase um ano, o laboratório National Ignition Facility (NIF) do Laboratório Nacional Lawrence Livermore, nos Estados Unidos, confirmou pela segunda vez um marco histórico neste campo: gerar mais energia do que o sistema utiliza para alcançar a reação de fusão nuclear – é conhecido como ignição e que é fundamental para o futuro do negócio.

Uma planta comercial de fusão a laser

A ignição nuclear é o ponto a partir do qual o processo de fusão é mantido com a energia produzida pelo sistema. O NIF consegue reproduzir a reação que ocorre naturalmente no Sol através de uma técnica chamada confinamento inercial, que consiste em bombardear com raios laser de alta energia um pequeno cilindro (‘hohlraum’) que envolve um alvo esférico com combustível nuclear – especificamente dois isótopos de hidrogénio: deutério e trítio.

Apesar do sucesso, o NIF é um reator experimental que mostrou que a tecnologia funciona, mas para torná-la realidade é necessário criar um reator comercial. E é exatamente aí que entra o Xcimer. A empresa trabalha desde 2022 para transformar o confinamento inercial numa fonte prática de energia.

“Este financiamento permite-nos alcançar marcos importantes no caminho para a energia comercial de fusão inercial”, relata Conner Galloway, CEO e diretor científico da Xcimer, citado pelo jornal espanhol ‘El Confidencial’. “Estamos muito satisfeitos que os nossos investidores líderes do setor, bem como nossos parceiros em laboratórios nacionais dos EUA, instituições académicas e indústria privada, estejam a juntar-se a nós na nossa missão de trazer energia segura, confiável e com zero carbono para o mundo.”

Produz 10 vezes mais energia

O seu objetivo, dizem, é construir novos lasers de fluoreto de criptónio que, ao atingirem o alvo onde está o combustível, gerem 10 vezes mais energia, com eficiência 10 vezes maior e um custo por joule 30 vezes menor do que o do NIF.

A ideia é que os lasers sejam colocados a uma distância de 50 metros do alvo e foquem os seus feixes de luz através de dois pequenos orifícios dentro do ‘hohlraum’ para chegar ao combustível. A maior potência dos lasers permite a utilização de cápsulas de combustível maiores, mais fáceis de produzir, mais robustas e capazes de gerar mais energia, afirma a empresa.

O sistema é projetado para inflamar apenas uma pequena quantidade de combustível, produzindo a energia necessária para que o processo se autoalimente constantemente. A expectativa é, pois, muito elevada.

“Os benefícios da fusão para a humanidade nunca foram tão claros ou tão necessários”, refere Mark Cupta, membro do conselho da empresa com sede em Denver, Colorado. “A Xcimer desenvolveu uma abordagem revolucionária para a fusão inercial e reuniu uma equipa das mentes mais brilhantes do setor para a concretizar.”

Ler Mais