Petróleo atinge nível mais alto em 7 semanas. “Escalada do conflito no Médio Oriente reacendeu as preocupações com a oferta”, explica analista

Nesta terça-feira, os preços do petróleo bruto WTI oscilaram em torno dos 81,5 dólares por barril, o seu nível mais elevado em sete semanas. Esta oscilação deveu-se principalmente à escalada do conflito no Médio Oriente, que reacendeu as preocupações com a oferta do petróleo. Na Rússia, o ataque de um drone ucraniano provocou um incêndio numa refinaria importante, enquanto que o exército isrealita alertava para uma iminente “guerra total” após provocações do Hezbollah.

Os preços do petróleo, nestas condições geopolíticas, só podem manter-se elevados, se considerarmos que o mercado também continua a ser apoiado por previsões robustas de crescimento da procura global, com a OPEP, a AIE e a EIA dos EUA a preverem um sólido crescimento da procura de petróleo no segundo semestre deste ano. O quadro que se desenha nos próximos dias é claramente favorável a preços mais elevados.

Em simultâneo, os principais membros da OPEP+, no qual se insere a Rússia e o Iraque, reafirmaram a sua adesão às quotas de produção, enquanto que a Arábia Saudita indicou a sua vontade de ajustar a produção em resposta às condições do mercado.

Nos EUA, os dados da produção industrial mostraram que os inventários do crude aumentaram para 2,264 milhões de barris na semana passada, desafiando as previsões de uma queda de 2,2 milhões de barris.

Saverio Berlinzani
Analista da ActivTrades