Ministro da Defesa diz que Israel eliminou 60% dos combatentes do Hamas

O ministro israelita da Defesa, Yoav Gallant, afirmou hoje que o Exército israelita “eliminou ou feriu 60%” dos combatentes do Hamas, após nove meses de guerra na Faixa de Gaza, considerando tratar-se de um “êxito” militar.

O conflito entre Israel e o Hamas entrou no décimo mês no domingo passado.

“Houve muitos êxitos”, declarou Yoav Gallant na tribuna do Knesset, o Parlamento israelita.

O Exército está atualmente a operar em vários setores da Faixa de Gaza e, nos últimos dias, intensificou a ofensiva na cidade de Gaza.

No início de janeiro, porém, o ministro anunciou que tinha “concluído o desmantelamento da estrutura militar” do Hamas no norte do território palestiniano, onde se situa a cidade, antes de lançar as operações terrestres no centro e no sul do enclave.

“Eliminámos ou ferimos 60% dos terroristas do Hamas”, disse Gallant, assegurando que as forças israelitas “desmantelaram a grande maioria” dos batalhões do Hamas e que “os soldados [de Israel] lutam há nove meses com dedicação, sacrifício e sucesso”.

Questionado pela Agência France-Presse (AFP) sobre o número de combatentes correspondente à percentagem apresentada pelo ministro, o Exército israelita disse estar a verificar a informação.

O Ministério da Defesa também não esclareceu de imediato a percentagem.

“Trouxemos de volta metade dos reféns e estamos determinados a trazer os restantes”, acrescentou o Ministro da Defesa, referindo-se às 116 das 251 pessoas raptadas no dia 07 de outubro de 2023 e que continuam detidas em Gaza, de acordo com o Exército israelita. “Todo o aparelho de segurança está determinado a cumprir os objetivos da guerra” fixados por Israel, disse Gallant, nomeadamente erradicar o Hamas e libertar os reféns, 42 dos quais já morreram.

Após meses de negociações infrutíferas sobre um cessar-fogo, uma fonte próxima das conversações disse que os chefes dos serviços de informações dos Estados Unidos (CIA) e de Israel são esperados hoje em Doha, Qatar.

As hostilidades foram desencadeadas em 07 de outubro por um ataque sem precedentes do Hamas contra Israel, que causou a morte de 1.195 pessoas do lado israelita, a maioria civis, segundo uma contagem da AFP baseada em dados oficiais.

A campanha militar de retaliação de Israel devastou a Faixa de Gaza, matando 38.295 pessoas, a maioria civis, de acordo com o Ministério da Saúde do Hamas no enclave palestiniano.

Ler Mais