Macron nomeia os dois países que são os principais oponentes à entrada da Ucrânia na NATO

O presidente francês Emmanuel Macron indicou, esta terça-feira, antes da cimeira do 75º aniversário da aliança atlântica, que os Estados Unidos e a Alemanha são os principais oponentes à adesão da Ucrânia à NATO, revela a agência ‘DPA’.

De acordo com o presidente francês, há “uma forte oposição” dos dois países em relação a um convite à Ucrânia para se juntar à NATO. “No final, será uma decisão dos aliados convidar a Ucrânia para se juntar à NATO”, salienta.

O presidente francês desferiu mais um golpe nas esperanças de progresso da Ucrânia, relembrando a fúria do país pela falta de convite na última cimeira da NATO na capital lituana, Vilnius. “Os ucranianos ficaram bastante irritados quando concluíram que a porta estava aberta, mas não tanto. E acho que o cenário para a cimeira de Washington é o mesmo”.

No entanto, o caminho da Ucrânia para a NATO é descrito como “irreversível” no rascunho do comunicado na cimeira da NATO, que arrancou esta terça-feira em Washington.