Le Pen acusa rival de esquerda de realizar “o seu próprio ataque ao Capitólio”

A líder do partido francês de extrema-direita Rally Nacional, Marine le Pen, acusou esta quarta-feira a Nova Frente Popular de realizar “o seu próprio ataque ao Capitólio” perante o desafio de formar um Governo de coligação após o triunfo nas eleições legislativas do passado domingo.

Recorde-se que o ataque ao Capitólio deu-se a 6 de janeiro de 2021, quando uma multidão de seguidores do agora ex-presidente Donald Trump invadiu o Congresso com o objetivo de impedir a ratificação dos resultados das eleições presidenciais nos Estados Unidos.

Com este paralelismo, Le Pen destacou que a Nova Frente Popular está a bloquear a formação de um Governo em França, garantindo que quer “tomar o Matignon à força”, citada pelo jornal francês ‘Le Figaro’ – assim, “a representação nacional não pode ser distorcida indefinidamente”.

“Cheguei ao Parlamento com um grupo de deputados que ficou em primeiro lugar nas eleições em número de votos. Isto só adia as coisas”, assegura Le Pen, que foi reeleita porta-voz do Agrupamento Nacional na Assembleia.

“Estamos num atoleiro porque não sabemos de onde virá o próximo primeiro-ministro. Isto não é um grande sucesso pelo presidente, Emmanuel Macron, e do seu movimento”, criticou, denunciando atitudes “praticamente faccionais” por parte da França Insubmissa (LFI) – que faz parte da Nova Frente Popular, assim como outras formações.

A esquerda “quer tomar Matignon (residência oficial do primeiro-ministro de França) à força”. “Este é o seu próprio ataque”, esclareceu.

Ler Mais