EV chineses ganham terreno na Europa: como é que vão afetar o mercado de usados?

Para muitas pessoas, os automóveis chineses são veículos quase “exóticos”, mas a verdade é que já são bastante comuns em vários países europeus. O grande público ainda não está familiarizado com os fabricantes chineses, pelo que há vários mitos a circular a respeito destes veículos.

De acordo com Matas Buzelis, especialista em automóveis da ‘carVertical’ – empresa de dados do setor automóvel -, o afluxo de EV chineses vai afetar o mercado de automóveis em segunda mão. Mas será que os EV usados provenientes de fabricantes chineses encontrarão compradores?

Veículos chineses podem vir a afetar o preço dos EV

Os veículos elétricos são mais caros do que os veículos a gasóleo e a gasolina e, por isso, os fabricantes chineses de veículos elétricos oferecem alternativas mais acessíveis ao mercado europeu. De acordo com o ‘Financial Times’, a quota de mercado dos veículos elétricos chineses aumentou para 8% em 2023. No entanto, os peritos preveem que, até 2027, os EV chineses representarão um quinto do mercado de veículos elétricos na UE.

O preço não é o principal fator a desencorajar os condutores de optarem por veículos elétricos. Nos países europeus, as infraestruturas de carregamento ainda estão em desenvolvimento e muitos compradores veem a posse de um veículo elétrico como um inconveniente.

Segundo Buzelis, os novos EV chineses vão ser mais baratos, se conquistarem uma quota de mercado significativa. No entanto, os fabricantes europeus já estão a explorar formas de competir com as empresas chinesas, considerando oportunidades de colaboração até com empresas rivais.

A competição é possível, mas só se existir com as mesmas regras e regulamentações

A decisão da Comissão Europeia de aplicar taxas de importação mais elevadas aos veículos chineses dificulta o trabalho dos fabricantes chineses de elétricos.

Como os europeus querem proteger os seus próprios fabricantes e os que fabricam veículos sem recorrer a recursos humanos injustos ou a materiais de origem duvidosa, a UE considera aumentar o imposto de 10 a 38,1%, o que altera significativamente a acessibilidade económica destes automóveis. Os Estados Unidos, por outro lado, tributaram os automóveis chineses com uma taxa de 100% de direitos de importação.

“Algumas empresas chinesas já estão a investir na construção de fábricas na Europa – estes veículos fabricados no continente europeu vão evitar taxas de imposto mais elevadas. Mas isso é exatamente o que deveria ter acontecido em primeiro lugar – igualar a concorrência é a coisa certa a fazer, e se as marcas chinesas se tornarem mais transparentes no fabrico de veículos, terão toda a concorrência que desejam”, explica Matas Buzelis.

Com o tempo, os EV usados podem tornar-se mais baratos

A crescente concorrência no mercado dos veículos elétricos vai beneficiar os compradores a longo prazo, já que deverá fazer baixar os preços dos veículos elétricos. Quem procura automóveis mais baratos pode começar a optar por veículos elétricos.

“Com o aparecimento de novos veículos elétricos chineses, mais económicos, a procura de veículos elétricos usados pode ser comprometida em toda a Europa. Tal pode ser suficiente para que os seus preços desçam”, explica Buzelis.

No entanto, a popularidade, as infraestruturas e o poder de compra dos veículos elétricos nos diferentes países europeus variam, pelo que os mercados podem reagir ao afluxo de veículos chineses de formas diferentes.

Valor residual e fiabilidade questionáveis

Antes de comprar um EV chinês, é importante considerar a sua rápida desvalorização. Estes automóveis podem ter menos procura no mercado de veículos em segunda mão, o que faz com que os seus preços desçam significativamente.

“A rápida desvalorização tem um grande impacto nos encargos mensais. As pessoas conhecem pouco os automóveis chineses, sendo que a fiabilidade destes veículos também é questionável. Ao que parece, os compradores até podem preferir EV chineses novos em detrimento de semi-novos europeus, mas, no futuro, pode ser difícil encontrar compradores para veículos chineses usados”, partilha Buzelis.

A escassez de peças para veículos invulgares também pode ser problemática para os condutores. No entanto, os fabricantes de automóveis chineses já estão a construir fábricas na Europa, o que resolverá esse problema. No entanto, tal também deverá fazer aumentar os preços dos EV chineses a longo prazo.

Ler Mais