“Não contem com a equipa de TI para resolver o problema na hora H”, alerta Alisson Avila, da Nova SBE

Estudos indicam que cerca de 80% das quebras de segurança informática acontecem por falta de competências por parte dos utilizadores, colocando a ênfase sobre o fator humano como um importante elo na cadeia de cibersegurança.

Na XXII edição da Conferência Executive Digest, Alisson Avila, Head of Applied Strategy da NOVA SBE Innovation Ecosystems, foi claro na mensagem que quis passar com a sua intervenção: “Não contem com a equipa de TI para resolver o problema na hora H”.

O especialista em cibersegurança chamou a atenção da plateia para o número cada vez maior de empresas e outras entidades em Portugal que estão a ser alvo de ataques informáticos e a sofrer quebras de segurança. Apesar de hoje existir uma consciência amplamente disseminada dos perigos que se escondem nos mundos digitais e online, ainda não são tomadas as ações necessárias para nos protegermos.

Avila explicou que o CyberPod, da Nova SBE, e que conta com parceiros como o Instituto Nacional – Casa da Moeda e a israelita Cybergym, que conta, por exemplo, com a NATO como cliente, permite desenvolver capacidades de gestão de risco, para que quando ocorra alguma quebra de segurança informática, seja possível atuar pronta e precisamente, sem que exista uma dependência excessiva dos departamentos de TI e perdas de tempo que serão cruciais em momentos de crise.

Se as empresas e outras entidades não estiverem devidamente preparadas e não tiverem as competências necessárias, “se o sistema entrar em colapso, ninguém vai saber porquê, nem por onde começar”, sublinhou o especialista.



Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.