Mercado dos diamantes em crise: preços estão cada vez mais baixos

O sector dos diamantes está a sofrer uma travagem, devido ao excesso de oferta a preços cada vez mais baixos, escreve a “Bloomberg”.

Há cinco anos, a maior preocupação do sector dos diamantes era ser esquecido pelos millennials. Na verdade, eram receios infundados. A procura por diamantes nos Estados Unidos nunca foi tão alta como agora. Porém, as jóias estão cada vez mais baratas.

No centro do problema estão os intermediários, responsáveis por polir e negociar os diamantes. Além de os lucros evaporarem com a desvalorização das pedras polidas, os bancos apertaram o financiamento e a De Beers, a maior produtora do sector, continua firme nos preços que exige pelos seus diamantes brutos.

«Existem muitas empresas no mercado e elas competem entre si», explica Anish Aggarwal, sócio da consultoria especializada em diamantes Gemdax. Isto, acrescenta, «atribuiu um enorme poder de compra aos retalhistas, que pode ser usado para manter os preços dos diamantes polidos mais baixos».

Este ano, a crise espalhou-se de tal forma que atingiu a De Beers, que vende a maior parte dos seus diamantes a um número selecto de clientes. Na semana passada, a produtora cedeu e baixou os preços, impulsionando as vendas na sua mais recente oferta em Botsuana.

Mas nem todos os diamantes estão mais baratos. As vendas da Tiffany & Co., Cartier ou Bulgari somam vendas 80 mil milhões de dólares. No entanto, o segmento de luxo representa apenas cerca de 30% do total de mercado.

 

Ler Mais
Artigos relacionados
Comentários
Loading...

Multipublicações

Marketeer
Guerra do streaming: consumidores dão oportunidade aos novos players
Automonitor
As ideias (brilhantes) da Skoda