Mercado de escritórios de Lisboa em quebra

Pelo segundo mês consecutivo, o mercado de escritórios de Lisboa está em quebra. Fevereiro foi sinónimo de uma descida de 39% no volume de absorção face ao período homólogo de 2018. Em relação a Janeiro deste ano, trata-se de um recuo de 45%.

Os dados são da Savills Portugal, segundo a qual não existe margem para dúvidas relativamente à dificuldade que o mercado irá sentir ao longo de 2019 no sentido de responder a uma procura que permanece elevada.

«Estes valores não são de todo surpreendentes e reflectem as previsões lançadas no final do ano 2018. Encontrar soluções válidas de ocupação no timing pretendido pelas empresas será um dos maiores desafios para 2019, sem esquecer também o facto de que a escassez de oferta tem limitado muito a escolha de instalações, em termos de qualidade das mesmas», comenta Rodrigo Canas, Agency Department director da Savills Portugal.

O responsável sublinha ainda outra tendência para este ano: processos de renegociação em repostas à falta de oferta na capital, especialmente acentuada nas zonas centrais (Prime CBD – Avenida da Liberdade à Praça Duque de Saldanha e CBD – Avenida da República, Avenida Duque de Loulé e Amoreiras).

Artigos relacionados
Comentários