Mais de 768 mil. Lisboa bate recorde de venda de passes em outubro

Os utilizadores dos transportes públicos coletivos da área metropolitana de Lisboa realizaram mais de 61 milhões de viagens durante o mês de outubro, dos quais 86% tinham um passe Navegante, segundo dados provisórios hoje divulgados.

Segundo uma nota divulgada pela Área Metropolitana de Lisboa (AML), em outubro foram transportados “mais de 61 milhões de passageiros”, tendo por base a validação do sistema de bilhética. No mês anterior, o número de viagens de utilizadores dos transportes públicos tinha sido de cerca de 53 milhões. “Comparando com o período homólogo de 2018, houve um aumento de 23% das validações registadas”, lê-se no comunicado da AML.

Nas mais de 61 milhões de viagens realizadas em outubro, 86% dos passageiros utilizaram “títulos do tipo passe e apenas 14% títulos ocasionais”.

Desde a implementação do novo sistema tarifário, entre abril e outubro de 2019, foram transportados mais 52 milhões e 400 mil passageiros face a igual período de 2018, o que corresponde a um aumento médio de 19,8%”, de acordo com a AML.

Quanto ao número de passes vendidos, foi superior a 768 mil, “o que constituí um novo máximo desde a implementação do novo sistema tarifário, em abril deste ano” (em setembro tinham sido vendidos cerca de 723 mil passes), refere a AML. Comparando com o período homólogo de 2018, registou-se um aumento de 24,8%.

Os novos passes Navegante representam 94% dos passes vendidos na área metropolitana de Lisboa, correspondendo 60% dessas vendas ao passe Navegante Metropolitano, seguido do Navegante Municipal com 17% e do +65 com 14%.

O passe Navegante Família, que entrou em vigor em agosto, representa já 3% das vendas do sistema, abrangendo mais de 5.700 agregados familiares e cerca de 22 mil pessoas.

Relativamente aos cartões Viva (necessários para o carregamento dos passes Navegante) produzidos, houve um aumento de 32% em comparação com o período homólogo de 2018, tendo sido pedidos cerca de 62 mil.

Ainda segundo os dados provisórios divulgados, o transporte rodoviário continua a ter o maior número de passageiros, registando em outubro 48% do total. O metropolitano transportou 30% dos passageiros, enquanto 19% usaram o comboio e 3% os barcos.

Contudo, “o modo que registou o maior aumento de passageiros desde a implementação do novo sistema tarifário foi o ferroviário pesado, com aumentos superiores a 39% em outubro de 2019, em comparação com o período homólogo de 2018, quando no primeiro trimestre este incremento se situava perto dos 8%”, indica a AML.

Na semana passada, a AML anunciou que em 2020 os preços dos passes Navegante não vão ter alterações.

Desde 1 de abril que os utentes passaram a ter dois modelos de passes na AML, um dos quais é o Navegante Metropolitano, que permite a utilização “em todos os modos de transporte, todas as empresas de transportes em toda a Área Metropolitana de Lisboa” e que custa no máximo 40 euros mensais.

Foram também criados 18 passes Navegante Municipal – um para cada um dos 18 concelhos que integram a AML – que, por 30 euros, permitem ao utente utilizar todos os transportes públicos de um concelho, ficando com a denominação da área geográfica a que diz respeito, como Navegante Lisboa, Navegante Sintra ou Navegante Vila Franca.

Existe ainda o Navegante Família – cujo preço máximo equivale a dois passes, ou seja 80 euros, e serve várias pessoas do mesmo agregado familiar. Este título começou a ser vendido no final de julho para ser usado em agosto.

Outras modalidades disponíveis são o Navegante 12, gratuito para crianças até aos 12 anos, e o Navegante +65, destinado a maiores de 65 anos, reformados e pensionistas (20 euros).

Ler Mais
Artigos relacionados
Comentários
Loading...

Multipublicações

Marketeer
Guerra do streaming: consumidores dão oportunidade aos novos players
Automonitor
As ideias (brilhantes) da Skoda