Maioria das empresas europeias incluem incentivos ESG na remuneração dos executivos

Os incentivos de políticas ESG, Environmental, Social and Corporate Governance (ambiente, social e governança empresarial, em português) são cada vez mais importantes no contexto empresarial, e segundo um novo estudo da consultora Willis Towers Watson (WTW) as grandes empresas da América do Norte e Europa estão a acelerar a integração destas métricas na remuneração dos executivos.

Em 2022, 77% das principais empresas da América do Norte e Europa incluíram métricas ESG nestes planos, um aumento de 69% em relação ao ano anterior.

Este é o terceiro ano em que a WTW realiza um estudo sobre os incentivos ESG para a Europa e América do Norte. A análise foi feita com base nas divulgações públicas de 885 empresas, incluindo do S&P 500, FTSE 100, TSX 60 e os principais índices europeus.

Na Europa e na América do Norte, as métricas ESG são usadas por mais de três quartos das empresas para determinar a remuneração de incentivos executivos, variando de 69% nos EUA a cerca de 90% na Europa e no Reino Unido.

Enquanto que a maioria das empresas incorpora as métricas ESG nos seus planos de incentivos a curto prazo, a medição ESG nos planos de incentivos a longo prazo aumentou bastante ao longo do tempo, em especial na Europa (46% das empresas) e no Reino Unido (37% das empresas). Nos EUA e no Canadá, a adoção de métricas ESG nos planos de incentivo a longo prazo permanece baixa (8% e 7%, respetivamente).

As métricas sociais são as métricas ESG mais proeminentes em todos os mercados, principalmente aquelas relacionadas com o capital humano, como gestão de talentos, planeamento de sucessão, inclusão, diversidade, saúde e segurança dos funcionários.

As métricas de capital humano são agora utilizadas por 68% das empresas na Europa e na América do Norte, variando de 63% nos EUA a 75% na Europa e no Reino Unido. Além disso, quase dois terços das empresas na Europa e no Reino Unido incluem neste momento métricas ambientais nos seus incentivos a executivos.

O estudo sublinha ainda, que uma ampla gama de práticas no uso de métricas de incentivo ESG acontece um pouco em todos os setores, especialmente na América do Norte, onde os setores de consumo e das tecnologias da informação ficam atrás da média geral. Por outro lado, mais de 90% das empresas de energia e utilidades S&P 500 incluem pelo menos uma métrica de incentivo ESG. A variação da indústria é muito menos proeminente na Europa e no Reino Unido, onde a adoção de métricas ESG é de pelo menos 75% para todas as indústrias.

Operações ESG cada vez mais importantes num mercado de fusões e aquisições em decréscimo

Ler Mais



loading...

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.