Levantar restrições demasiado cedo aumenta risco de uma segunda vaga, alerta OMS

A directora regional da Organização Mundial de Saúde (OMS) para o continente americano, Carissa Etienne, referiu, esta terça-feira, que todos os territórios que levantam as medidas restritivas demasiado cedo, aumentam o risco de uma segunda vaga de casos da Covid-19.

Em videoconferência, a responsável destacou a situação dos estados norte-americanos de Washington e Nova Iorque, frisando que ambos têm vindo a registar um número muito baixo de novos casos e mortes, contudo o mesmo não acontece com outros 27 territórios do país, onde o crescimento da epidemia é exponencial.

«Até 29 de Junho, o continente americano registava 5,1 milhões de casos e mais de 247 mil mortes devido à Covid-19», segundo a responsável, o que representa cerca de metade dos dados globais: 10.360.882 casos e ainda 507.014 vítimas mortais.

Estes números não se ficam por aqui. Segundo Etienne, o continente pode vir a registar 438 mil vítimas mortais, até Outubro, se as medidas de prevenção não se mantiverem.

A responsável alertou para o facto de que as projecções de modelos matemáticos não devem ser tidas em conta de forma literal, podendo servir sim como guias de planeamento. Segundo Etienne, nas actuais condições, a pandemia deve atingir o seu pico no Chile e na Colômbia até meados de Julho, mas na Argentina, Brasil, Bolívia e Peru não será antes de Agosto. Na Costa Rica deverá acontecer apenas em Outubro.

pub

Comentários
Loading...