JP Morgan, Goldman Sachs, Citi e Morgan Stanley elogiam disparo da NOS no último semestre. Ações da empresa subiram na quarta-feira

Os resultados semestrais da Nos, divulgados quarta-feira foram elogiados por instituições internacionais de referência como o JP Morgan, Goldman Sachs, Citi e Morgan Stanley em notas de “research” a que o Jornal de Negócios teve acesso.

Como escreve a publicação económica do grupo Cofina, “o JP Morgan considera que a Nos registou um “trimestre sólido” tendo superado em 1% o consenso dos analistas quer em receitas quer em EBITDA. E destaca que “o desempenho da divisão de audiovisual é particularmente encorajador”.

A Goldman Sachs recorre também ao termo “sólido” para classificar os números divulgados, “destacando o forte crescimento homólogo quer nas telecomunicações quer no audiovisual e cinema, mas assinala que este desempenho resulta de melhorias mas também do facto de o segundo trimestre do ano passado ter sido o mais afetado pela pandemia”, segundo o mesmo jornal.

“O Morgan Stanley afina pelo mesmo diapasão, recorrendo igualmente à expressão “sólido” quanto ao desempenho no segundo trimestre. No entanto, adverte, algumas incertezas relacionadas com o leilão do 5G que ainda decorre (potencial novo concorrente, alocação de espetro e investimento) travam o avanço da cotação”, acrescenta o Negócios.

Por fim, o Citi afirma que os números apresentados são “encorajadores” e acrescenta que “há muito pouco a apontar de negativo”.

Em comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), a NOS adianta que “o resultado líquido consolidado situou-se em 73,9 milhões de euros, valor que compara com 35 milhões registados nos primeiros seis meses do exercício do ano passado”.

A boa notícia repercutiu-se no mercado bolsista, já que no arranque da sessão, durante a manhã de quarta-feira, as ações da NOS subiram quase 3%,  para 3,05 euros por ação, conforme revelam os dados da Investing.

Ler Mais


Comentários
Loading...