Johnson & Johnson: Vendas de vacinas contra covid-19 levam farmacêutica a rever em alta lucros e preço-alvo

A Johnson & Johnson elevou esta terça-feira a previsão de lucro para 2021 e manteve a previsão da receita em vendas de vacinas contra a a covid-19, no patamar dos 2,5 mil milhões de euros.

Relativamente ao total de vendas, englobando todos os produtos e serviços, a marca farmacêutica desceu a meta de 23,34 mil milhões de dólares, para 23,72 mil milhões de dólares.

No terceiro trimestre deste ano, as vendas de dispositivos clínicos aumentaram 8%, para os 6,64 mil milhões de dólares.

Em matéria de mercado de capitais, a J&J  atingiu os 2,60 dólares por ação, superando o preço-alvo atribuído por algumas agências de ‘rating’ de 2,35 dólares por ação.

Até ao final de 2021, a empresa pretende chegar à moldura entre os 9,77 dólares e os 9,82 dólares por ação, superando as expeciativas de um quadro por unidade compreendido entre os 9,60 e os 9,70 dólares.

Em abril, uma notícia fez cair a capitalização de mercado e a confiança dos investidores na J&J.

Cerca de 15 milhões de doses da vacina contra a covid-19 da Johnson & Johnson (J&J) foram desperdiçadas por engano numa fábrica em Baltimore, segundo o New York Times.

De acordo com a publicação norte-americana, citada pela agência France-Press, os empregados da fábrica em questão, gerida pela empresa Emergent BioSolutions, parceira da J&J, confundiram os ingredientes necessários à fabricação da vacina.

Contactada pela AFP, a Johnson & Johnson não confirmou o número de 15 milhões, mas declarou que os controlos de qualidade efetuados no lugar “identificaram um lote de substância medicamentosa que não cumpria os padrões de qualidade da Emergent BioSolutions, uma unidade que ainda não está autorizada a fabricar a substância medicamentosa para a nossa vacina contra a covid-19”.

“Esse lote não chegou a passar pelas etapas de enchimento e acabamento do nosso processo de fabricação”, acrescentou a J&J num comunicado.

A agência americana dos medicamentos (FDA) foi posta ao corrente da situação, e foram deslocados para o local “especialistas suplementares” para supervisionar as operações, de acordo com a empresa.

“Em coordenação com o Departamento americano da Saúde, essas medidas vão permitir-nos entregar com toda a segurança 24 milhões de doses da vacina durante o mês de abril”, afirmou a Johnson & Johnson.

Ler Mais


Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.