pub

João Baracho: «A tecnologia é um factor fundamental na evolução do modelo educativo»

Os Encontros Regionais da 6ª Edição do Apps for Good decorrem entre quarta-feira e sexta-feira, dias 1 e 3 de julho, e serão, pela primeira vez, totalmente online devido ao contexto atual da pandemia provocada pelo Covid-19. O Encontro Regional Norte, decorreu em Valongo no dia 1 de julho, e o Encontro Regional Centro-Sul, decorre em Oeiras no dia 3 de julho. Destes dois Encontros serão escolhidas 20 finalistas que estarão presentes no Evento Final em Lisboa a 17 de setembro na Fundação Calouste Gulbenkian.

O Apps for Good foi lançado pelo CDI (Center of Digital Inclusion) Portugal, ONG da qual é diretor executivo, e já vai na sua 6ª Edição em Portugal. O que é este programa e quais os objectivos?

O Apps for Good é um programa internacional, com presença em UK, Polónia, EU e Portugal, e globalmente já atingimos cerca de 18.000 alunos, mais de 6.000 professores e 4.200 escolas. A nossa missão prende-se com a inovação do modelo educativo, com a introdução de novas formas de aprender em sala de aula que estejam de acordo com os novos desafios de uma sociedade digital. É com base neste pilar que propomos às escolas que através de uma metodologia de 5 passos criem apps /protótipos que resolvam problemas ligados à sustentabilidade e aos 17 objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas. Professores e alunos são guiados pela nossa plataforma que contém conteúdos online (cursos), que proporcionam experiências de capacitação não só ao nível digital mas também das soft skills – comunicação, trabalho em equipa, liderança, resolução de problemas. As equipas de alunos e professores contam ainda com uma rede de especialistas voluntários que remotamente dão apoio às equipas nas áreas de conhecimento do programa. O programa termina com uma competição regional e nacional de montra de todos os projetos, onde os nossos parceiros participam ativamente na escolha das melhores. Em Portugal, vamos para a 7ª edição onde pretendemos atingir novamente mais de 200 escolas a nível nacional.

Qual a importância e o impacto da tecnologia na educação e na economia nacionais?

A tecnologia é um factor fundamental na evolução do modelo educativo. Através dela permite-se o igual acesso ao conhecimento global permitindo reduzir o fosso da desigualdade ainda existente ao nível das oportunidades dos jovens nascidos em diferentes regiões e estratos sociais. Por isso, a Tecnologia tem de ser um meio e não um fim e a generalização da sua utilização tem de ser cuidadosamente acompanhada de forma a que os princípios éticos e de sustentabilidade da nossa sociedade sejam direccionados de forma correcta e universal.  E se do ponto de vista social esta evolução tem um enorme impacto nos alunos, os efeitos consequentes nos professores e pais que os acompanham não são menores, tendo um efeito multiplicador na inclusão digital do nosso país. Desta forma, teremos jovens melhor preparados e acompanhados para encararem os desafios futuros numa economia cada vez mais competitiva e digital , mas também mais humana, global e participativa.

De que forma é que a inclusão e inovação social e digital podem ajudar a recuperar a economia portuguesa?

A inclusão digital é fundamental para a inclusão e inovação social. Programas como o Apps for Good potenciam fundamentalmente as competências dos jovens gerando profissionais criativos, confiantes e competentes, capazes  de liderar uma evolução positiva nos modelos sociais e económicos existentes.
E se Portugal tem vindo a marcar posição na área do empreendedorismo e tecnologia, a disponibilização de mais recursos e de uma estratégia digital bem planeada e executada marcará a definitiva recuperação da Economia Portuguesa tão prejudicada pela actual crise provocada pelo COVID19

O Apps for Good pretende e está a formar e a preparar os próximos líderes portugueses?

No Apps for Good estamos a proporcionar  todas as ferramentas para que os jovens tenham contacto com a economia real desde o início da sua aprendizagem. O programa é aplicado pelos alunos e professores em sala de aula, mas podem ter uma ajuda extra dos nossos especialistas, que são profissionais em diversas áreas, que se disponibilizam para acompanhar e ajudar as equipas a desenvolver as suas soluções. Esta partilha de conhecimentos entre as empresas e as escolas tem um importante impacto nos jovens. Provavelmente estaremos a preparar os novos líderes, mas o que nos move é que fundamentalmente os nossos jovens possam vir a ser excelentes e felizes profissionais.

Algumas das aplicações criadas já estão disponíveis para serem descarregadas pelo público. Que papel poderão ter na sociedade e na economia nacionais?

As aplicações criadas pelos jovens têm como base os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, que têm impacto na nossa sociedade, pelo direito de cada um em contribuir para um mundo melhor. Este impacto contribuirá definitivamente para uma economia mais forte e sólida. Queremos essencialmente transmitir aos jovens, que eles tem uma voz ativa e que podem ter um papel preponderante no mundo ao apresentarem as suas ideias e criatividade. Temos muitos talentos escondidos nas escolas portuguesas que, por vezes, só precisam de um pequeno empurrão para brilharem “cá fora”. E não estamos apenas a falar de alunos. Temos professores que através deste trabalho em equipa com os seus alunos descobrem novos e mais motivadores métodos de ensino.

O Apps for Good é apoiado pelo Ministério da Educação e tem como parceiros empresas portuguesas e internacionais bem conhecidas (Galp, REN, IBM, Fujistu, BNP Paribas, entre outros). Na sua opinião, a que se deve este interesse e apoio? Há uma preocupação, cada vez maior, das empresas em ajudar os jovens e, consequentemente, a sociedade e a economia?

Cada vez mais as empresas têm uma preocupação em contribuir para a sustentabilidade do nosso planeta. No Apps for Good encontram uma forma de motivar, através da camada mais jovem, comportamentos saudáveis e conscientes. Por um lado assumem que a responsabilidade da educação não deve estar apenas centrada nas Escolas – mas na contribuição de todos – Câmaras, empresas, associações – pois só assim se criam sinergias e se elevam os recursos e resultados. Através do Apps for Good os nossos parceiros envolvem colaboradores complementando iniciativas e estratégias internas de recursos humanos, motivam os jovens para potenciais oportunidades de trabalho, propõem e ou apoiam o desenvolvimento de temas ligados à sua estratégia na área da sustentabilidade e seguem as tendências e opções dos jovens que podem ser os seus futuros líderes ou colaboradores.

Ler Mais
pub

Comentários
Loading...