INE confirma o esperado: Volume de negócios das empresas afundou em 2020. Media foram os únicos que cresceram

Em 2020, as empresas não financeiras registaram um decréscimo do volume de negócios e do valor acrescentado bruto (VAB) de 9,6% e 10,1%, respetivamente (+4,0% e +5,8%, em 2019). O pessoal ao serviço, os gastos com o pessoal e o excedente bruto de exploração (EBE) diminuíram 0,5%, 1,7% e 18,1%, respetivamente (+4,1%, +8,7% e +2,1%, em 2019, pela mesma ordem), revelam os dados do Instituto Nacional de Estatística (INE).

Por atividade económica, foi no Alojamento e restauração que se verificou a maior descida no VAB (-47,4% face a 2019), enquanto o setor da Informação e comunicação registou o único crescimento no conjunto das empresas não financeiras (+10,4% comparativamente a 2019).

As sociedades de pequena e média dimensão, que em 2020 representavam 99,7% do total das sociedades não financeiras e cujo número de empresas aumentou 2,1% face a 2019, geraram um VAB de 54,9 mil milhões de euros (-8,6% que no ano anterior) o que correspondeu, em termos absolutos, a um decréscimo de 5,2 mil milhões de euros. As sociedades de grande dimensão registaram decréscimos de 13,3% no volume de
negócios, 13,2% do VAB e 23,3% do EBE.

As sociedades não financeiras de grande dimensão registaram decréscimos mais significativos nos principais indicadores económicos (-13,2% no VAB e -13,3% no volume de negócios) que as de pequena e média dimensão (-8,6% e -7,4%, respetivamente).

Em 2020, existiam em território nacional 26 267 sociedades com perfil exportador (menos 578 sociedades que em 2019), correspondendo a 5,9% do total das sociedades não financeiras em Portugal. Estas sociedades empregavam 22,7% do total do pessoal ao serviço, foram responsáveis por 33,0% do volume de negócios e geraram 32,1% do VAB (-0,2 p.p.,-1,3 p.p. e +0,1 p.p. face a 2019, respetivamente).

Relativamente à rendibilidade das vendas, em 2020, o valor mediano da distribuição das sociedades não financeiras registou decréscimos de 0,7 p.p. e 1,0 p.p. nas sociedades de grande dimensão e nas de pequena e média dimensão, respetivamente, fixando-se nos 1,8% e 1,0%, pela mesma ordem.
A amplitude interquartil, aumentou em ambos os grupos de sociedades, embora de forma mais expressiva nas PME: de +15,1 p.p. em 2019 para +26,7 p.p. em 2020 nas PME e de +6,4 p.p. em 2019 para +6,9 p.p. em 2020 nas sociedades de grande dimensão

 

Ler Mais


Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.