Inditex leva aumento da retribuição do presidente e CEO a votos

A próxima assembleia geral da Inditex ficará marcada por uma proposta de aumento da retribuição variável do presidente Pablo Isla e do CEO Carlos Crespo. Segundo avança a agência noticiosa Europa Press, a dona de marcas como Zara ou Pull & Bear vai levar a votos uma nova política de remunerações para os exercícios de 2021, 2022 e 2023.

Recorde-se que a retribuição total dos executivos da gigante espanhola é composta por um elemento fixo, outro variável a curto prazo ou anual e, ainda, um elemento variável a longo prazo ou plurianual.

A ideia é que Pablo Isla mantenha a remuneração fixa de 3,25 milhões de euros – e que não tem sofrido alterações desde 2013, a pedido do próprio executivo. No caso de Carlos Crespo, a remuneração fixa proposta é de 1,5 milhões de euros.

Por outro lado, prevê-se um aumento da retribuição variável anual e um incremento também do teto máximo da retribuição variável a longo prazo, de forma a refletir os níveis de incentivo do plano 2019-2023 da Inditex bem como de estratégias futuras. Também está em cima da mesa a possibilidade de aumentar o peso dos objetivos não financeiros associados às retribuições variáveis, nomeadamente a nível de sustentabilidade e responsabilidade social.

De acordo com a Inditex, a nova política de remunerações mantém as linhas gerais em vigor neste momento, mas acrescenta medidas que permitem reforçar o alinhamento com as prioridades estratégicas da organização. O encontro de acionistas está marcado para dia 13 de julho.



Artigos relacionados
Comentários
Loading...