Imprensa internacional diz que Horta-Osório perdeu a figura de “banqueiro modelo”

Depois da sua demissão do cargo de Presidente do Credit Suisse, António Horta-Osório é um alvo ainda mais escrutinado pela imprensa internacional. Desde a sua chegada ao banco suíço até à sua demissão, há quem sublinhe o seu “estilo imponente”.

Horta-Osório chegou ao Credit Suisse sem nunca ter experimentado um banco em crise. Depois de vários constrangimentos como o escândalo de espionagem corporativa envolvendo altos executivos ou o envolvimento com a empresa financeira condenada Greensill Capital, o banco depara-se com um novo revés com a renúncia do banqueiro.

“Raramente um executivo que chegou com tanta fanfarra se destacou de forma tão espetacular. Demorou apenas nove meses para Horta-Osório passar de contratado estrela a pária, e alguns que testemunharam o seu declínio e queda especulam que a investigação da quarentena pode ter sido uma oportunidade para cortar os laços com um líder que alienou muitos dentro do Credit Suisse”, escrevem Marion Halftermeyer e Ambereen Choudhury na ‘Bloomberg’.

Neste título pode ler-se ainda que Horta-Osório tinha um “estilo imponente que deixou de lado o CEO”, Thomas Gottstein. De acoro com fontes da ‘Bloomberg’, Horta-Osório falava frequentemente sobre Gottstein nas reuniões, criando tensão constante entre os banqueiros.

António Horta-Osório demitiu-se depois de nove meses no cargo, após quebrar medidas de prevenção contra a covid-19 na Suíça e Reino Unido.

“Lamento que algumas das minhas ações pessoais tenham levado a dificuldades para o banco e comprometido a minha capacidade de representar o banco interna e externamente”, disse Horta-Osório num comunicado citado pela agência ‘Bloomberg’.

“Por conseguinte, acredito que a minha demissão é do interesse do banco e das suas partes interessadas neste momento crucial”, acrescentou.

O português tinha regressado à Suíça do Reino Unido a 28 de novembro e partido para a península ibérica antes de um período de quarentena obrigatório de 10 dias ter terminado, acrescentou a Bloomberg.

Antes, Horta-Osório já teria quebrado as regras em julho de 2021, quando assistiu às finais de ténis de Wimbledon em Londres, contrariando as regras de prevenção no Reino Unido.

Ler Mais


Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.