Hong Kong autoriza “tubarões financeiros” a circularem sem quarentena

O Governo de Hong Kong seguiu o exemplo de Singapura e autorizou altos executivos que já estejam vacinados das 500 empresas multimilionárias, cotadas nos índices Hang Seng e Hang Seng China Enterprises, a circular dentro e fora da região administrativa, sem necessidade de realizarem uma quarentena, como é imposto à restante população, anunciou hoje a Secretaria do Tesouro da região, através de um comunicado.

Para além das 500 empresas “com porta aberta”, todas as instituições bancárias e financeiras, seguradoras e industriais podem ter direito “a uma cota de isenção de quarentena para altos cargos de chefia”, conforme revela o comunicado do Governo.

No entanto, o mesmo documento alerta que, nestes casos, “além da existência de uma cota, os executivos em causa podem ter de ser submetidos a testes e só poderão percorrer itinerários pré-aprovados”.

A nota de imprensa publicada hoje é a confirmação de uma notícia lançada pelo ‘Financial Times’ na sexta-feira, que dava conta de que vários “banqueiros seniores de Hong Kong estavam a circular dentro e fora da região, sem qualquer tipo de isolamento prévio”.

Atualmente, o Executivo de Carrie Lam obriga a que todos aqueles que chegam a Hong Kong provenientes de uma zona fora da China, que entrem em quarentena por 21 dias, sendo a estadia em hotel paga pelo próprio visitante. O ‘South China Morning Post’ revela que, neste momento, “a revolta popular na região contra este tipo de elitismo está a aumentar”.

Já Frederick Gollob, presidente da Câmara Europeia de Comércio em Hong Kong, pensa exatamente o contrário: “É um passo na direção certa, ainda que não seja o suficiente. A cidade deve reabrir”.

No ano passado, o Executivo de Carrie Lam aboliu a necessidade de isolamento para todos os titulares de altos cargos que grandes empresas que fossem provenientes da China Continental.

Ler Mais


Artigos relacionados
Comentários
Loading...