Harley-Davidson deixa o maior mercado de motas do Mundo. Produção na Índia pára

A fábrica da Harley-Davidson na Índia vai fechar portas. A gigante norte-americana do motociclismo anunciou que irá deixar de produzir naquele que é considerado o maior mercado de motas do Mundo. A decisão surge em linha com o plano de reestruturação da empresa, que prevê abrandar as operações de vendas.

Segundo a BBC, a saída da Harley-Davidson do mercado indiano é um duro golpe para o primeiro-ministro Narendra Modi, que tem tentado atrair e reter fabricantes estrangeiros. Há apenas algumas semanas, também a Toyota revelou que não iria expandir a sua presença na Índia devido ao sistema de impostos do país.

A mesma publicação indica que a saída da Harley-Davidson envolve 75 milhões de dólares em custos de reestruturação, cerca de 70 despedimentos e o encerramento da fábrica em Bawal, no Norte do país. Embora sejam vendidas aproximadamente 17 milhões de motas e scooters todos os anos na Índia, a Harley-Davidson tem tido dificuldades em competir com a japonesa Honda e com a marca local Hero.

As vendas anuais da Harley-Davidson neste mercado têm rondado as 3 mil unidades, o que não é suficiente para rentabilizar o investimento alocado. «A Índia é um mercado de grandes volumes e margens reduzidas. Eles não estavam estruturados para jogar esse jogo», indica Hormazd Sorabjee, editor da Autocar India. Além disso, acrescenta, o elemento de lifestyle associado a ter uma Harley não está totalmente desenvolvido ainda na Índia.



Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.