Há lugares nos aviões onde o risco de contrair Covid-19 é maior. Saiba quais são

Um estudo de cientistas australianos a um voo de classe económica da Qantas Airway, em Março, mostrou que o risco de contrair Covid-19 nos passageiros sentados nos lugares à janela é maior. A descoberta teve por base a análise de sequenciamento do genoma dos passageiros infetados, segundo a ‘Bloomberg’.

Pelo menos oito, e provavelmente até 11 passageiros contraíram o novo coronavírus durante o voo de cinco horas de Sydney para Perth, no dia 19 de março, diz a equipa de cientistas da Austrália Ocidental, num artigo publicado no jornal Emerging Infectious Diseases. Dos 11 infetados, quase todos tinham desembarcado do cruzeiro Ruby Princess em Sydney no mesmo dia.

No total, estavam 243 passageiros a bordo do QF577, um Airbus A330. Embora os infetados estivessem divididos de igual forma entre o meio e a parte traseira da aeronave, todas as 11 infeções secundárias foram encontradas na parte central, na classe económica, sete das quais identificadas em passageiros sentados nos lugares à janela, segundo o estudo, que vem assim contrariar a opinião de que os mesmos lugares tinham um risco menor de exposição a patógenos.

As descobertas são um golpe para o setor da aviação civil que tenta convencer clientes cautelosos, à medida que os voos domésticos voltam lentamente ao redor do mundo. Várias companhias aéreas disseram que as hipóteses de contrair de o vírus num avião são baixas, principalmente porque as aeronaves são equipadas com filtros de nível hospitalar.

A maioria dos passageiros que contraíram a Covid-19 no voo da Qantas estavam a duas filas de outros infetados, embora um deles estivesse a seis filas de distância, segundo a pesquisa. Em nota, a Qantas referiu que tinha protocolos em vigor para lidar com pessoas provenientes de navios de cruzeiro com focos de infeção, mas não sabia que alguns tinham vindo do Ruby Princess nesse dia. «Se soubéssemos, teriam sido impedidos de viajar», ​​disse o diretor médico da Qantas, Ian Hosegood, em comunicado.

 

Ler Mais

Artigos relacionados
Comentários
Loading...