Gripe das aves volta a atingir Europa. Vírus afeta indústria e compromete fornecimento de ovos

A gripe das aves na Europa está a aproximar-se dos piores níveis desde 2016, com o fornecimento de aves e ovos a diminuir drasticamente, num sinal de que o vírus está a afetar novamente a indústria avícola.

A doença, vulgarmente chamada gripe das aves, foi encontrada em vários países europeus. A Ásia está também a sofrer surtos da mesma estirpe altamente patogénica do H5N8.

A Rússia disse ter registado durante o fim-de-semana o primeiro caso de infeção humana com gripe A (H5N8) numa fábrica de aves de capoeira, o que suscitou preocupação de que o vírus possa sofrer uma mutação, transformando-se numa doença entre humanos.

A doença tende a começar no outono, transportada por aves selvagens em migração a partir da Ásia para a Europa.

Recentemente, “o número de surtos aumentou ainda mais do que nos anos mais difíceis”, disse a chefe da Organização Mundial da Saúde Animal (OIE), Monique Eloit, à agência Reuters.

Cerca de 5 milhões de aves já foram abatidas na Polónia, o maior produtor de aves de capoeira da União Europeia (UE), segundo dados da principal inspeção veterinária local. O total representa uma pequena fração do bando de aves de capoeira da UE, no entanto, ainda não há sinais de escassez de frangos.

Em 2019, cerca de 6,4 mil milhões de frangos foram abatidos para carne nos 27 Estados-membros do bloco, de acordo com estatísticas da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura. A diminuição do número de galinhas poedeiras reduziu, contudo, a oferta de ovos e colocou alguma pressão no sentido da subida dos preços.

Os preços dos ovos no mercado grossista na Polónia saltaram cerca de 18% a 20% no final de janeiro, segundo a diretora da Câmara Nacional dos Produtores de Aves e Alimentos para Animais, Katarzyna Gawronska.

Dados da Comissão Europeia mostram que os preços dos ovos estão também a subir em vários outros países da UE, incluindo França e Alemanha. Outros países, incluindo a Suécia, tiveram de destruir grandes bandos para evitar a propagação do vírus.

Os surtos de gripe das aves, tal como outras doenças animais, provocam frequentemente restrições comerciais. Esta perspetiva forçou alguns produtores, incluindo o maior grupo avícola francês PMD, a retirar as exportações que já se encontravam a caminho da China. No entanto, a abordagem crescente dos países importadores no sentido de limitar as restrições às regiões afetadas pelo vírus suavizou o impacto da gripe das aves.

Para combater a doença, os criadores são obrigados a assegurar a instalação adequada de redes para manter as aves selvagens afastadas, desinfetar as instalações e verificar frequentemente as condições de higiene.

Ler Mais

Comentários
Loading...